Rodeghel

areia ensacada sorocaba pedra ensacada sorocaba



Areia e pedra Sorocaba pedra em sorocaba



pedra em sorocaba areia em sorocaba



Areia e pedra Sorocaba areia em sorocaba



Agendamento pelo WhatsApp
Olá! Clique em uma das opções abaixo e nós retornaremos o mais rápido possível.
Notícias

RSS Feed - Notícias - Mantenha-se Informado


21/11 - Economia brasileira cresceu 0,1% no 3º trimestre, aponta monitor do PIB da FGV
No mês de setembro, avanço foi de 0,3% na comparação com agosto. Resultado oficial do PIB do 3º trimestre será divulgado pelo IBGE no dia 3 de dezembro. A economia brasileira registrou crescimento de 0,1% no 3º trimestre, na comparação com os 3 meses anteriores, segundo dados do Monitor do PIB-FGV, divulgados pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) nesta quinta-feira (21). No mês de setembro, o indicador avançou 0,3% ante agosto. Já na comparação com o mesmo trimestre de 2018, o Produto Interno Bruto (PIB) cresceu 0,9% entre os meses de julho e setembro, segundo o indicador. O resultado oficial do PIB do 3º trimestre será divulgado pelo IBGE no dia 3 de dezembro. No 1º trimestre, houve queda de 0,1% e, no 2º trimestre, alta de 0,4%.
Veja Mais

21/11 - CAT de Santa Bárbara d'Oeste divulga 212 vagas de emprego para esta quinta; confira a lista
Oportunidades são para 38 funções e há empresas que ficam em outras cidades paulistas. Quem está em busca de emprego pode se candidatar a uma das 212 vagas cadastradas na Casa do Trabalhador (CAT) de Santa Bárbara d'Oeste (SP) nesta quinta-feira (21). Há oportunidades que aceitam pessoas que nunca trabalharam. Veja abaixo a lista completa. A maior quantidade de vagas é para auxiliar de cozinha, com 50 posições para uma empresa de São Paulo (SP), e ajudante geral temporário, com 40 para trabalhar em Santa Bárbara d'Oeste. Além dessas cidades, há cargos para empresas em Americana (SP), Elias Fausto (SP), Iracemápolis (SP), Limeira (SP), Nova Odessa (SP), São Joaquim da Barra (SP) e Curitiba (PR). Entre todas estão oportunidades para soldador, motorista de carreta, gerente, vendedor e técnico de enfermagem. São 38 funções ao todo. O número de vagas pode variar ao longo do dia, e o detalhamento de cada uma está disponível na internet. Carteira de Trabalho Natalia Filippin/G1 Algumas oportunidades exigem pessoas com cursos específicos, experiência comprovada e Carteira Nacional de Habilitação (CNH) para veículos pesados. Os contratos são para registro em carteira, autônomo e temporário. Os interessados em alguma das oportunidades devem levar RG, CPF e Carteira de Trabalho no Desenvolve S.Bárbara, que fica no VIC Center, na Avenida Santa Bárbara. O atendimento é de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 16h30. O telefone é o (19) 3499-1015. Oportunidades Ajudante de açougue Ajudante geral (agrícola) Atendente de restaurante Auxiliar de cozinha Caldeireiro (a) Chefe de turno Contra mestre Corretor (a) de imóveis Cromador Desenhista/projetista mecânico Eletricista Eletrotécnico de manutenção Eletrotécnico de manutenção Encarregado de assistência técnica Engrupador Estagiário (a) comercial Extrusor Gerente Instrumentista tubista Mecânico de manutenção Mecânico manutenção maquinas pesadas Motorista Motorista rodoviário carreteiro Oficial de assistência técnica Operador (a) de crédito (autônomo) Orçamentista com AutoCad Programador (a) de manutenção Programador (a) de web Programador (a) e operador de centro de usinagem Programador de torno CNC Rebobinador Soldador (a) Tapeceiro Técnica de enfermagem Torneiro mecânico Vendedor (a) Vendedor (a) externo (consultor(a)) Vendedor externo Veja mais notícias da região no G1 Piracicaba
Veja Mais

21/11 - Bovespa opera em alta na volta do feriado
Na terça-feira, a bolsa fechou em queda de 0,38%, a 105.864 pontos. Painel da B3, antiga Bovespa, mostra cotações dos papeis negociados na bolsa Paulo Whitaker/Reuters O principal índice da bolsa de valores brasileira, a B3, opera em alta nesta quinta-feira (21), após o feriado do Dia da Consciência Negra em São Paulo, que manteve os mercados fechados na véspera. Às 10h05, o Ibovespa tinha alta de 11%, a 105.979 pontos. Veja mais cotações Na terça-feira, a bolsa fechou em queda de 0,38%, a 105.864 pontos, acumulando perda de 1,26% no mês. Em 2019, no entanto, já subiu 20,45%.
Veja Mais

21/11 - Justiça suspende programa de desligamento voluntário da BR Distribuidora
Decisão judicial, que tem caráter liminar, foi comunicada pela própria empresa. BR Distribuidora Divulgação/Petrobras A Justiça do Rio de Janeiro concedeu liminar que suspendeu programa de desligamento voluntário da BR Distribuidora, iniciado em 9 de novembro, informou a distribuidora de combustíveis em comunicado nesta quinta-feira (21). A decisão foi tomada a pedido do sindicato da categoria no Rio de Janeiro. "A companhia ressalta que está tomando todas as providências cabíveis pelos meios legais e éticos com o objetivo de assegurar os direitos dos funcionários que já se inscreveram no programa, conforme sua opção livre e individual e dentro de seus planos pessoais futuros", disse a empresa. O programa de desligamento voluntário da BR Distribuidora – que teve o controle vendido pela Petrobras em julho – foi lançado este mês. Segundo a companhia, o custo de implementação do Programa de Desligamento Optativo (PDO) é de R$ 780 milhões, com uma redução total de custo também estimada em cerca de R$ 650 milhões por ano. Os valores, no entanto, são projeções preliminares. Segundo a empresa, "os ganhos estimados deverão se concretizar gradualmente ao longo de 2020". Não foi informada a estimativa de quantos funcionários devem aderir ao programa. "O processo ainda está em curso e algumas informações estratégicas são reservadas. Oportunamente, os resultados serão divulgados", disse a BR em nota enviada ao G1. "A BR hoje, como empresa privada, busca constantemente trabalhar com as melhores práticas e alto padrão de qualidade, totalmente alinhada aos interesses de seus acionistas", afirma ainda o comunicado. Condições O programa de desligamento foi divulgado aos funcionários no último dia 8. A adesão voluntária vale para todos os empregados da empresa, e tinha prazo até esta quinta-feira (21). Os desligamentos estavam previstos para ocorrer no dia 10 de dezembro. Quem optar pelo desligamento receberá indenização financeira e extensão de alguns benefícios por tempo determinado, além de um programa de recolocação profissional conduzido por consultoria especializada. O objetivo do programa, segundo a empresa, é "apoiar o ajuste da composição da força de trabalho da companhia por meio de uma solução estruturada e com as melhores opções para os colaboradores". A BR Distribuidora, maior empresa do setor de distribuição de combustíveis do Brasil, teve lucro líquido de R$ 1,3 bilhão no terceiro trimestre deste ano, o que representa um aumento de 23,9% na comparação com o mesmo período do ano passado.
Veja Mais

21/11 - Dólar passa a cair após alcançar R$ 4,21
Na terça-feira, o dólar fechou em queda de 0,17%, a R$ 4,1988. Notas de dólar Gary Cameron/Reuters O dólar passou a cair nesta quinta-feira (21), após um início de negócios em alta na reabertura do mercado de câmbio após o feriado da véspera em São Paulo, em dia marcado pela incerteza na frente comercial Estados Unidos-China, e com os investidores de olho também na pauta política doméstica. Às 10h24, a moeda norte-americana caía 0,17%, a R$ 4,1915. Na máxima até o momento, chegou a R$ 4,2160. Veja mais cotações. Na terça-feira, o dólar fechou em queda de 0,17%, a R$ 4,1988. Na parcial do mês, acumula alta de 4,71%. No ano, tem valorização de 8,38% frente ao real. Na segunda-feira, atingiu o maior valor nominal de fechamento da história, quando a moeda encerrou os negócios cotado a R$ 4,206. O Banco Central ofertará nesta quinta-feira até 15.700 contratos de swap cambial reverso e até 785 milhões de dólares em moeda spot. Adicionalmente, no caso de venda parcial ou não colocação de swaps reversos e dólar à vista, a autarquia ofertará contratos de swap tradicional, para rolagem do vencimento janeiro de 2020.
Veja Mais

21/11 - China diz que se esforçará para chegar à 'fase um' de acordo comercial com EUA
Analistas avaliam que acordo possa ocorrer só no próximo ano, uma vez que China pressiona por uma reversão tarifária mais extensa e o governo dos EUA responde com demandas elevadas. Presidente da China, Xi Jinping, e presidente dos EUA, Donald Trump, se cumprimentam em imagem de novembro de 2017. Damir Sagolj/Reuters A China se esforçará para chegar a um acordo comercial inicial com os Estados Unidos enquanto os dois lados mantêm os canais de comunicação abertos, disse o Ministério do Comércio chinês nesta quinta-feira (21), na tentativa de acalmar os temores de que as negociações possam estar desandando. A China está disposta a trabalhar com os Estados Unidos para resolver as principais preocupações de cada parte com base na igualdade e no respeito mútuo, e tentará arduamente chegar à "fase um" de um acordo, disse Gao Feng, porta-voz do ministério, a repórteres. "Isso está de acordo com os interesses tanto da China quanto dos Estados Unidos e do mundo", disse Gao. Economistas alertam que a prolongada disputa comercial entre China e Estados Unidos está aumentando os riscos para a economia global ao interromper as cadeias de oferta, desencorajar o investimento e afetar a confiança dos negócios. A conclusão da fase um de um acordo pode ser adiada para o próximo ano, disseram especialistas em comércio e pessoas próximas à Casa Branca à Reuters anteriormente, conforme Pequim pressiona por uma reversão tarifária mais extensa e o governo dos EUA responde com suas próprias demandas elevadas. A China convidou os principais negociadores comerciais dos EUA para uma nova rodada de negociações presenciais em Pequim, informou o Wall Street Journal nesta quinta-feira, citando fontes não identificadas, acrescentando que Pequim espera que a rodada de conversas possa ocorrer antes do feriado de Ação de Graças nos Estados Unidos na próxima quinta-feira. As autoridades norte-americanas indicaram que estariam dispostas a se encontrar pessoalmente, mas não se comprometeram com uma data, disse a notícia, e estariam relutantes em viajar para as negociações a menos que a China deixe claro que assumirá compromissos em relação à proteção à propriedade intelectual, transferências forçadas de tecnologia e compras agrícolas. Gao, quando questionado sobre os pontos difíceis e se eles estavam relacionados à demanda de Washington de que a China compre mais produtos agrícolas dos EUA e às reversões tarifárias, disse que não tinha mais informações a divulgar além do fato de que ambas as partes continuarão se comunicando, e de que "rumores externos não são precisos."
Veja Mais

21/11 - Marca de móveis decide abolir termo 'criado-mudo' de seu catálogo
Campanha da Etna, lançada no Dia da Consciência Negra, explica que termo é racista e diz que 'é sempre tempo de mudar e evoluir'. Etna decide abolir termo 'criado-mudo' de seu catálogo Reprodução/Facebook/Etna A rede de móveis e de objetos de decoração Etna anunciou que vai abolir o termo "criado-mudo" de seu catálogo e de todas as suas lojas. Em campanha lançada na quarta-feira (20), no Dia da Consciência Negra, a empresa explica que o termo é racista e defende que o móvel seja chamado apenas de "mesa de cabeceira". "Sem nos dar conta, ainda carregamos termos racistas como esse, mas sabemos que é sempre tempo de mudar e evoluir", afirma a Etna. Segundo a rede, é preciso abolir o termo porque, apesar de muitas pessoas não saberem, o nome do móvel remete ao período da escravidão no Brasil, quando alguns homens e mulheres passavam dia e noite imóveis ao lado da cama para atender aos "senhores". "Um dia, surgiu a ideia de uma pequena mesinha para ficar ao lado da cama, usada basicamente para apoiar objetos. Esse móvel exercia a mesma função do escravo doméstico e foi chamado de criado. Então, para não confundir os dois, passaram a chamar o móvel de criado-mudo", diz o texto da página criada em seu site para divulgar a ação. Confira aqui o vídeo produzido pela Etna para divulgar a campanha #criadomudonucamais Etna diz que irá abolir o nome “criado-mudo” de todas as suas lojas, virtual e físicas. Reprodução/Facebook
Veja Mais

21/11 - Indústria de carne do Brasil e consumidor pagam mais com exportação maior à China
Pelo Índice de Preços ao Produtor Amplo, da FGV, a carne bovina apareceu entre os destaques em novembro, com alta de 5,26%, dez vezes mais do que o visto em outubro. Preço da carne de boi dispara em novembro em São Paulo O Brasil, maior exportador global de carne bovina, está faturando com a maior demanda da China, mas os consumidores brasileiros estão por tabela pagando mais pelo produto nos açougues, enquanto frigoríficos têm sido pressionados a fazer ofertas recordes por bois nas fazendas. A fome chinesa para preencher o buraco deixado pela peste suína africana na criação de porcos já é sentida setorialmente nos índices de inflação no Brasil e ainda pressiona margens da maior parte dos frigoríficos do país, segundo especialistas. Com impulso dos chineses, que elevaram as compras de carne bovina do Brasil em 23,6% de janeiro a outubro, para cerca de 320 mil toneladas, o país exportou 11% mais no período, para 1,47 milhão de toneladas, de acordo com a associação da indústria Abrafrigo. Além da forte demanda da China após novas habilitações de indústrias de bovinos pelos chineses -- que passaram de 16 no início do ano para 40 unidades atualmente, segundo a Abrafrigo--, um dólar em máximas históricas frente ao real também favorece as exportações. "Estamos no auge da captação desses aumentos de preços, a carne vai continuar subindo e vai impor um desafio para a dona de casa. Quando a carne bovina sobe, outras carnes também sobem, ainda que não houvesse razão para isso, elas sobem pela questão da substituição (do produto)", disse o economista do Instituto Brasileiro de Economia (Ibre) André Braz, da Fundação Getulio Vargas, que acompanha índices inflacionários. Não fossem poucos os fatores de alta, a proximidade das festas de final de ano gera uma demanda adicional por carnes, há o pagamento da primeira parcela do décimo terceiro neste mês e uma oferta mais restrita de bovinos prontos para o abate. "A gente já está assistindo sim uma alta forte, tem a ver com sazonalidade, e também com demanda chinesa. Isso gera choque de oferta", completou Braz, em entrevista à Reuters. "Com a chegada do décimo terceiro, o consumidor compra mesmo, e este comprar é o sinal verde para aumento de preços. O dever de casa seria comprar menos, mas vai dizer para a pessoa não celebrar o final do ano?" Pelo Índice de Preços ao Produtor Amplo, da FGV, a carne bovina apareceu entre os destaques em novembro, com alta de 5,26%, dez vezes mais do que o visto em outubro. "Dá para ver que houve um avanço significativo no preço da carne bovina, já pronta para ir para o açougue", comentou Braz, sobre a carne mais significativa para a inflação. Em novembro, Índice de Preços ao Consumidor constatou alta de 6,04% no contrafilé, enquanto em outubro havia subido 2,69%. "Parte da alta ao produtor é repassada sim, e dado que está subindo ao produtor, a carne vai continuar pressionando inflação em novembro e dezembro...", disse Braz. Isso em momento em que o preço da arroba do boi gordo, acompanhado pelo indicador Esalq/B3, atingiu um recorde de 204,05 reais na terça-feira, acumulando alta de 19,54% no mês, segundo o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), que também registrou nesta semana nova máxima histórica para a carcaça bovina na Grande São Paulo, de 13,90 reais/kg. A inflação no país, no entanto, tem se mantido abaixo do piso da meta oficial para 2019, de 4,25% pelo IPCA com margem de 1,5 ponto percentual para mais ou menos. Carne em açougue Rede Globo/Reprodução E quem não vende à China "A gente sabia que ocorreria uma maior demanda por boi para abate, mas não nesta magnitude... O número de empresas habilitadas para a China foi muito significativo", afirmou o presidente da Abrafrigo, Péricles Salazar. Segundo ele, aqueles frigoríficos que não têm habilitação para a China não conseguem repassar para os seus preços a alta da matéria-prima. "Margens menores. Tenho recebido a seguinte afirmação: está muito difícil para os frigoríficos que não têm habilitação da China, porque são obrigados a acompanhar o preço do boi daqueles que têm habilitação...", disse. Ele acrescentou que aquelas empresas que não têm habilitação para exportar à China, que está pagando melhores preços do que outros destinos, conseguem compensar apenas parte do aumento da arroba bovina, já que o mercado interno também está em alta. Diante da forte demanda chinesa, ele disse que o setor espera ainda este ano novas habilitações de frigoríficos, após cinco unidades de carne bovina terem sido autorizadas na semana passada, incluindo fábricas da JBS e Marfrig. Entretanto, ele comentou que o preço da arroba do boi a mais de 200 reais não é sustentável, e o mercado deve recuar em algum momento. Quando, ele disse não saber. Na avaliação de Braz, da FGV, o preço da carne só vai começar a arrefecer um pouco ao final de janeiro. "Lá para fevereiro e março a carne começa a devolver uma parte do aumento", comentou ele, condicionando essa previsão a uma normalidade climática para as pastagens, por exemplo.
Veja Mais

21/11 - OCDE reduz projeção de crescimento para economia global em 2020
Estimativa para alta do PIB global no ano que vem passou de 3% para 2,9%. Para o Brasil, previsão de crescimento foi mantida em 0,8% em 2019 e 1,7% em 2020. A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) reduziu a previsão de crescimento da economia mundial para 2020, passando a projetar um crescimento de 2,9%, ante estimativa anterior, divulgada em setembro, de alta de 3%, em razão da ameaça persistente de tensões comerciais. Para 2019, a projeção de crescimento foi mantida em 2,9% – menor taxa de crescimento anual desde a crise financeira de 2008/2009. Em 2018, o Produto Interno Bruto (PIB) global cresceu 3,6%. "Os conflitos comerciais, o fraco investimento privado e a incerteza política persistente pesam sobre a economia mundial e aumentam o risco de estagnação a longo prazo", destacou a OCDE. Entre as principais desacelerações previstas para o ano que vem, destaque para Estados Unidos (com alta do PIB de 2,3% em 2019, recuando para 2% em 2020), China (6,2% em 2019 e 5,7% em 2020) e Japão (1% em 2019 e 0,6% em 2020). Oferecendo um pequeno consolo, a estimativa da OCDE é de uma expansão de 3% em 2021, mas só se uma série de riscos que vão de guerras comerciais a uma acentuada desaceleração chinesa sejam contidos. Estimativas de crescimento - OCDE Economia G1 A instituição destaca a ação dos bancos centrais para apoiar a economia, mas alerta para o "desequilíbrio" entre as políticas monetárias e orçamentárias e pede mais políticas fiscais "incitadoras" para estimular investimentos de longo prazo. A OCDE também expressa preocupação com a deterioração das perspectivas econômicas e salienta que os Estados não têm levado em conta mudanças estruturais como digitalização, mudança climática ou mudanças geopolíticas que ocorreram desde o final dos anos 1990. "Seria um erro político considerar essas mudanças como fatores temporários que poderiam ser tratados pela política monetária ou fiscal, são estruturais", destacou a instituição. Projeções para o Brasil Para o Brasil, a previsão de crescimento do PIB foi mantida em 0,8% para 2019 e em 1,7% para 2020, mas passou a ver crescimento de 1,8% em 2021, ante alta de 2% estimada em setembro. Entre os países emergentes, a situação continuará sendo crítica na Argentina, com uma queda no PIB de 3% em 2019 e retração de 1,7% em 2020.
Veja Mais

21/11 - O que são 'cookies' na web e quais riscos eles representam?
Entenda também por que você recebe notificações sobre o uso de cookies. Quais são os riscos quando acesso uma página na web que me notifica sobre a utilização de "cookies"? – José Alves O Regulamento Geral de Proteção de Dados da União Europeia (GDPR) obriga diversos sites a avisar sobre o uso de cookies. Além de serem um aborrecimento – porque praticamente todos os sites usam cookies –, essas notificações são um pouco enganosas. Lei da União Europeia que protege dados entra em vigor; entenda O que de fato regula o uso de cookies é o seu navegador de internet. Nenhum site pode gravar qualquer cookie sem que seu navegador permita, pois é o navegador que guarda o cookie a pedido do site. A utilidade básica dos cookies é identificar o seu navegador e com isso permitir "persistência" na internet. Praticamente todos os usos deles derivam disso. Quando você adiciona um item a um carrinho em uma loja on-line e em seguida abre outra página na mesma loja, é um cookie que permite que sua sessão de navegação seja identificada e o site "lembre" que você colocou aquele item no carrinho. Da mesma forma, há um cookie em ação sempre que você clica em "lembrar de mim" para não ter que digitar seu usuário e senha. Seu navegador guarda um cookie a pedido do site e "devolve" esse cookie a cada visita. O site, por sua vez, confere a validade do cookie para conceder acesso e dispensar a digitação da senha. Curiosamente, mesmo que você negue permissão para o uso de cookies nessas notificações impostas pela GDPR, o site é muitas vezes obrigado a gravar um cookie no seu navegador para lembrar da sua rejeição. Sem o cookie, é muito difícil para o site saber que você já viu a notificação — e teria que mostrá-la em todas as páginas! Como a utilidade do cookie é identificar um computador, ele também serve para o rastreamento on-line. É nesse sentido que eles são um risco à privacidade. Funciona assim: se os sites A, B, e C utilizam uma mesma rede de publicidade on-line, essa rede pode cruzar as informações da audiência desses sites. Com cookies de identificação individuais em cada visitante, a rede de publicidade sabe quantos acessaram os três sites, quem visitou apenas A ou B e assim por diante. Redes publicitárias atendem milhares de sites. Dessa maneira, elas podem estabelecer relações entre as audiências de cada página e direcionar anúncios que sejam dos visitantes. Quando você visitar outras páginas no futuro, a rede saberá que você é a mesma pessoa que visitou os sites A, B e C no passado, podendo apresentar um anúncio de acordo com seu histórico de navegação. Como as empresas de tecnologia vendem publicidade on-line? Embora os cookies não coloquem nenhum de seus arquivos pessoais em risco e em geral toda a coleta sobre análise de audiência seja anônima, há controvérsias sobre o risco prático representado pelos cookies. Você pode instalar extensões no seu navegador ou realizar configurações que bloqueiam os cookies para impedir isso de acontecer de fato (já que as notificações são, como foi explicado, enganosas do ponto de vista técnico). Além disso, quando você abre uma "janela anônima" ou "privativa" em seu navegador, nenhum dos cookies armazenados é enviado para os sites. Assista ao vídeo e saiba mais: O que são 'cookies' na web e quais riscos eles representam? Se você tem alguma dúvida sobre segurança da informação (antivírus, invasões, cibercrime, roubo de dados etc.), envie um e-mail para g1seguranca@globomail.com. A coluna responde perguntas deixadas por leitores às quintas-feiras. Selo Altieres Rohr Ilustração: G1
Veja Mais

21/11 - Hortolândia abre inscrições para 17 vagas em concursos públicos; salários chegam a R$ 5 mil
Interessados devem se inscrever pelo site até 29 de dezembro. Oportunidades são para nível superior, ensino médio e fundamental. Hortolândia (SP) oferece 17 vagas de emprego em concursos públicos Acervo Prefeitura Municipal de Hortolândia Hortolândia (SP) abre inscrições para 17 vagas em concursos públicos nesta quinta-feira (21). As oportunidades são voltadas para cargos de ensino superior, médio e fundamental. Confira a lista das vagas abaixo. Os interessados devem se inscrever através do site até 29 de dezembro. O valor da inscrição varia entre R$ 8,99, para nível superior e ensino médio, e R$ 7,61, para os cargos de ensino fundamental. Concurso Nº 003/2019 Para o Concurso Público Nº 003/2019, serão oferecidas 5 vagas para cargos de nível superior. A jornada varia de 30 a 40 horas semanais, de acordo com a vaga escolhida, e os salários são de R$ 5.089,56. A prova é objetiva e de títulos, possui 50 questões e será aplicada em 2 de fevereiro de 2020. Confira as oportunidades Assistente Social Economista Fonoaudiólogo Nutricionista Psicólogo Concurso Nº 004/2019 Já para o Concurso Público Nº 004/2019, serão oferecidas 12 vagas de emprego, com oportunidades para pessoas com deficiência (PCD). A jornada de trabalho é de 40 horas semanais, e os salários variam entre R$ 1.756,06 e R$ 3.266,80. Veja as vagas disponíveis Assistente administrativo – 4 vagas Assistente administrativo (PCD) – 1 vaga Fiscal de comércio, serviços, tributos e posturas – 1 vaga Técnico em segurança do trabalho – 1 vaga Agente de políticas públicas – 4 vagas Agente de políticas públicas (PCD) – 1 vaga A prova será realizada em 26 de janeiro de 2020, com 40 questões objetivas. Veja mais oportunidades da região no G1 Campinas
Veja Mais

21/11 - Pesquisa mostra 10 habilidades comportamentais em alta para arrumar emprego em 2020
Guia Salarial 2020 da Robert Half destaca a importância de os profissionais desenvolverem competências que vão além da capacidade técnica. Mercado de trabalho valoriza habilidades comportamentais como boa comunicação e foco em resultados Austin Distel on Unsplash Para conseguir emprego, os profissionais devem combinar familiaridade com as inovações tecnológicas, habilidades comportamentais e capacidade analítica. Isso porque a transformação digital e os avanços da tecnologia em todas as áreas e indústrias têm aumentado a competitividade das empresas, a disputa por vagas de trabalho e a exigência do aprendizado contínuo. De acordo, com levantamento da Robert Half, empresa de recrutamento especializado que seleciona profissionais para oportunidades permanentes e projetos, a tendência é de que, até 2022, as habilidades mais demandadas na contratação de profissionais sejam visão de negócio (opinião de 51% dos líderes), pensamento estratégico (48%), liderança (48%) e capacidade de adaptação (42%). “Em função dessa disputa, é fundamental que os profissionais cuidem não apenas da capacitação técnica, mas também desenvolvam as habilidades comportamentais, participando proativamente de grupos de trabalho, buscando agregar mais valor para a função que executam, para a área, negócios e para a empresa como um todo”, aponta Fernando Mantovani, diretor geral da Robert Half. Com base no Guia Salarial 2020, a Robert Half destaca as 10 habilidades comportamentais mais desejadas pelas empresas: Boa comunicação O que é: habilidade de se comunicar bem é a chave para profissionais trabalharem de forma integrada ao negócio. É essencial que eles possam traduzir questões técnicas de suas áreas para diferentes públicos, desde o corpo operacional até o CEO da empresa, além do público externo. Comunicação eficiente também é uma das bases para ser um bom gestor. Bom relacionamento interpessoal O que é: é uma habilidade essencial, já que o profissional precisa transitar por várias áreas. Para que haja uma interação entre os departamentos, os colaboradores de diferentes setores precisam se relacionar bem. Equipes sintonizadas nos objetivos organizacionais se relacionam harmoniosamente para atingir bons resultados nas suas áreas e na companhia, como um todo. Dinamismo O que é: colaboradores dinâmicos têm a capacidade de raciocínio rápido e conseguem fazer mais tarefas de forma mais rápida e ágil do que os demais. Isso potencializa sua produtividade e os seus resultados. Esta capacidade de administrar várias demandas simultaneamente é um grande diferencial competitivo, ainda mais numa era onde tudo acontece de forma veloz e as empresas precisam conquistar maior eficiência operacional e aprender a fazer mais com menos. Domínio do idioma inglês O que é: a maioria dos profissionais ainda não domina uma segunda língua. Falar inglês é essencial, pois as empresas estão cada vez mais conectadas globalmente e o profissional que souber falar ou entender outro idioma, além de expandir seu conhecimento, poderá melhorar seu cargo ou salário. Flexibilidade O que é: bons profissionais sabem que as circunstâncias mudam rapidamente e é preciso ter capacidade para se adaptar na mesma velocidade. É importante não ter medo de mudar de rumo e também aprender como tirar vantagem de uma situação que parece perdida. Hands on (mão na massa) O que é: esse é o profissional que bota a mão na massa, faz junto e se aprofunda nas atividades. Sua mente é aberta para absorver novos conhecimentos. Ser produtivo e participar da execução dos trabalhos é a melhor forma para potencializar suas entregas para benefício de toda a equipe. Orientado a resultados O que é: capacidade que um profissional tem para focar na concretização dos objetivos da empresa e, assim, garantir que os resultados sejam alcançados conforme o esperado. Também possibilita impulsionar o crescimento de outros profissionais da equipe, pois o conhecimento partilhado contribui com os resultados a serem alcançados pela toda a organização. Perfil multidisciplinar O que é: é um profissional híbrido que aplica conhecimentos de outras áreas no setor em que é especialista, mesmo que não seja necessariamente sua formação. Ele tem uma visão sistêmica do negócio e busca conhecimento por conta própria, em cursos livres, especializações, palestras e workshops, por exemplo. Senso de dono O que é: hoje as empresas buscam profissionais que abracem os projetos com responsabilidade e a motivação de um empreendedor. É preciso ter postura ativa para apresentar soluções que possam viabilizar ou facilitar o exercício da atividade e, principalmente, expandir os negócios junto com a empresa. Visão de negócio O que é: ter uma consciência clara da direção para onde a empresa está indo é essencial para ser bem-sucedido. A visão clara do futuro vem junto com a habilidade de tomar as medidas necessárias para chegar lá. É necessário ver além do negócio, mas esse é um exercício complexo e envolvente. Esses profissionais combinam uma forte determinação com o desejo de crescer.
Veja Mais

21/11 - Unicamp abre inscrições de concurso público para 26 vagas, com destaque para médicos; veja áreas e editais
Interessados podem se inscrever a partir desta quinta-feira (21) até 18 de dezembro. Vagas são para níveis superior e médio, e salários variam de R$ 3,3 mil a R$ 6,6 mil. Unicamp abre concurso público para 26 vagas. Antoninho Perri/Ascom/Unicamp A Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) abre, nesta quinta-feira (21), inscrições para 26 vagas em concurso público para diversos cargos, entre eles médico, enfermeiro, nutricionista, técnicos e analista de desenvolvimento de sistemas. As oportunidades são para profissionais com níveis superior e médio e os salários variam de R$ 3.336,67 a R$ 6.606,32. As inscrições podem ser feitas das 10h desta quinta até as 23h59 de 18 de dezembro, exclusivamente pela internet. São 17 editais ao todo. [Veja abaixo] Segundo a organizadora Vunesp, as oportunidades oferecidas são para: Analista de desenvolvimento de sistemas Analista de redes e de comunicação de dados Enfermeiro Farmacêutico Médico (anatomopatologista, cardiologista, gastroenterologista, oncologista e pediatra) Nutricionista Perito em cálculo judicial Profissional para assuntos universitários - Bioinformata Terapeuta ocupacional Técnico de enfermagem Técnico de laboratório Técnico em multimeios didáticos Tecnólogo em instrumentação e controle Veja o acesso para os editais de cada função, detalhes dos cargos e pré-requisitos abaixo. Enfermeiro 2 vagas para atuar junto à Área de Saúde da Unicamp, e as que porventura vierem a surgir durante o prazo de validade nos campi Campinas, Limeira e Piracicaba. Jornada de trabalho: 30 horas semanais, podendo variar para períodos diurno, noturno, misto, na forma de revezamento ou escalas de serviços. Salário: R$ 6.291,73. Técnico de enfermagem 5 vagas para atuar junto à Área da Saúde da Unicamp, bem como as que porventura vierem a surgir durante o seu prazo de validade nos campi Campinas, Limeira e Piracicaba. Jornada de trabalho: 30 horas semanais, podendo variar para períodos diurno, noturno, misto, na forma de revezamento ou escalas de serviços. Salário: R$ 3.336,67 Farmacêutico 2 vagas para atuar junto à Unicamp, e as que porventura vierem a surgir durante o seu prazo de validade nos campi Campinas, Limeira e Piracicaba. Jornada de trabalho: 30 horas semanais, podendo variar para períodos diurno, noturno, misto, na forma de revezamento ou escalas de serviços. Salário: R$ 6.291,73. Médico pediatra 1 vaga para atuar junto à Unicamp, e as que porventura vierem a surgir durante o seu prazo de validade nos campi Campinas, Limeira e Piracicaba. Jornada de trabalho: 24 horas semanais, podendo variar para os períodos diurno, noturno, misto, na forma de revezamento ou escala de serviços. Há possibilidade de plantões, remunerados à parte. Salário: R$ 6.606,32. Médico anatomopatologista 1 vaga para atuar junto à Unicamp, e as que porventura vierem a surgir durante o seu prazo de validade nos campi Campinas, Limeira e Piracicaba. Jornada de trabalho: 24 horas semanais, podendo variar para os períodos diurno, noturno, misto, na forma de revezamento ou escala de serviços. Há possibilidade de plantões, remunerados à parte. Salário: R$ 6.606,32. Médico cardiologista 1 vaga para atuar junto à Unicamp, e as que porventura vierem a surgir durante o seu prazo de validade nos campi Campinas, Limeira e Piracicaba. Jornada de trabalho: 24 horas semanais, podendo variar para os períodos diurno, noturno, misto, na forma de revezamento ou escala de serviços. Há possibilidade de plantões, remunerados à parte. Salário: R$ 6.606,32. Médico gastroenterologista 1 vaga para atuar junto à Unicamp, e as que porventura vierem a surgir durante o seu prazo de validade nos campi Campinas, Limeira e Piracicaba. Jornada de trabalho: 24 horas semanais, podendo variar para os períodos diurno, noturno, misto, na forma de revezamento ou escala de serviços. Há possibilidade de plantões, remunerados à parte. Salário: R$ 6.606,32. Médico oncologista 1 vaga para atuar junto ao Hospital da Mulher Prof. Dr. José Aristodemo Pinotti - Caism, da Unicamp, e as que porventura vierem a surgir durante o seu prazo de validade nos campi Campinas, Limeira e Piracicaba. Jornada de trabalho: 24 horas semanais, podendo variar para os períodos diurno, noturno, misto, na forma de revezamento ou escala de serviços. Há possibilidade de plantões, remunerados à parte. Salário: R$ 6.606,32. Nutricionista 1 vaga para atuar junto à Unicamp, e as que porventura vierem a surgir durante o seu prazo de validade nos campi Campinas, Limeira e Piracicaba. Jornada de trabalho: poderá variar entre 40, 30 ou 20 horas semanais, podendo ser nos períodos diurno, noturno, misto, na forma de revezamento ou escala de serviços. Salário: R$ 6.291,73 (para 40 horas) Terapeuta ocupacional 1 vaga para atuar junto à Unicamp, bem como as que porventura vierem a surgir durante o seu prazo de validade nos campi Campinas, Limeira e Piracicaba. Jornada de trabalho: 30 horas semanais, podendo variar para os períodos diurno, noturno, misto, na forma de revezamento ou escala de serviços. Salário: R$ 6.291,73 Perito em cálculo judicial 1 vaga para atuar junto à Procuradoria Geral - PG da Unicamp, e as que porventura vierem a surgir durante o seu prazo de validade nos campi Campinas, Limeira e Piracicaba. Jornada de trabalho: 40 horas semanais, podendo variar para os períodos diurno, noturno, misto, na forma de revezamento ou escala de serviços. Salário: R$ 6.291,73 Tecnólogo em instrumentação e controle 1 vaga para atuar junto à Unicamp, e as que porventura vierem a surgir durante o seu prazo de validade nos campi Campinas, Limeira e Piracicaba. Jornada de trabalho: 40 horas semanais, podendo variar para os períodos diurno, noturno, misto, na forma de revezamento ou escala de serviços. Salário: R$ 6.291,73. Profissional para assuntos universitários - Bioinformata 1 vaga para atuar junto à Unicamp, e as que porventura vierem a surgir durante o seu prazo de validade nos campi Campinas, Limeira e Piracicaba. Jornada de trabalho: 40 horas semanais, podendo variar para os períodos diurno, noturno, misto, na forma de revezamento ou escala de serviços. Salário: R$ 6.291,73. Analista de redes e de comunicação de dados 3 vagas para atuar junto à Unicamp, e as que porventura vierem a surgir durante o seu prazo de validade nos campi Campinas, Limeira e Piracicaba. Jornada de trabalho: 40 horas semanais, podendo variar para os períodos diurno, noturno, misto, na forma de revezamento ou escala de serviços. Salário: R$ 6.291,73. Analista de desenvolvimento de sistemas 2 vagas para atuar junto à Unicamp, e as que porventura vierem a surgir durante o seu prazo de validade nos campi Campinas, Limeira e Piracicaba. Jornada de trabalho: 40 horas semanais, podendo variar para os períodos diurno, noturno, misto, na forma de revezamento ou escala de serviços. Salário: R$ 6.291,73. Técnico de laboratório 1 vaga para atuar junto à Unicamp, e as que porventura vierem a surgir durante o seu prazo de validade nos campi Campinas, Limeira e Piracicaba. Jornada de trabalho: 40 horas semanais, podendo variar para os períodos diurno, noturno, misto, na forma de revezamento ou escala de serviços. Salário: R$ 3.336,67. Técnico em multimeios didáticos 1 vaga para atuar junto à Faculdade de Ciências Aplicadas (FCA) da Unicamp, e as que porventura vierem a surgir durante o seu prazo de validade nos campi Campinas, Limeira e Piracicaba. Jornada de trabalho: 40 horas semanais, podendo variar para os períodos diurno, noturno, misto, na forma de revezamento ou escala de serviços. Salário: R$ 3.336,67. Veja mais notícias da região no G1 Campinas
Veja Mais

20/11 - Uber permite gravar áudio de corridas no Brasil e México por segurança
A medida é um projeto piloto, que pode eventualmente se estender a outros países. No entanto, a empresa não divulgou um cronograma para isso. Motorista segura celular no aplicativo Uber Jorge Soares/G1 A Uber anunciou nesta quarta-feira (20) que oferecerá a partir de dezembro a seus usuários no Brasil e no México a oportunidade de gravar o áudio de sua viagem, a fim de melhorar a segurança do motorista e do passageiro.. A medida é um projeto piloto, que pode eventualmente se estender a outros países. No entanto, a empresa não divulgou um cronograma para isso. Com a nova funcionalidade, o motorista e o passageiro podem ativar a gravação da conversa pressionando um botão do aplicativo. Quando a viagem chega ao fim, é perguntado aos usuários se tudo ocorreu bem. Caso necessário, é possível informar sobre um incidente e transmitir o arquivo de áudio à Uber. A gravação será encriptada e armazenada no telefone do motorista ou do passageiro. No entanto, ela não poderá ser ouvida, já que somente a Uber terá a chave para decifrá-la. A companhia afirmou que a opção proposta no Brasil e no México respeita a legislação dos dois países, disse a companhia. A Uber também pretende recolher comentários dos usuários sobre seu projeto piloto para eventualmente modificar a opção antes de oferecê-la em outros países.
Veja Mais

20/11 - Hospital Universitário da UFSCar tem 50 vagas para áreas médica, assistencial e administrativa
Inscrições para concurso vão até 10 de dezembro; oportunidades incluem cadastro reserva. Hospital Universitário da UFSCar, em São Carlos (SP). Reginaldo dos Santos/ EPTV O Hospital Universitário da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) tem 50 vagas para as áreas médica, assistencial e administrativa. A lista de oportunidades inclui cadastros reserva e as inscrições para o concurso vão até 10 de dezembro. Os interessados devem se inscrever no site do Instituto Brasileiro de Formação e Capacitação (IBFC), responsável pela realização dos concursos. Os editais dos cargos estão disponíveis nos sites do IBFC e da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) (confira abaixo a lista completa de vagas para cada cargo). Confira a relação de vagas para cada cargo Áreas médicas Anestesiologia - 1 vaga Cardiologia - 1 vaga Cardiologia (ergometria) - cadastro reserva Cirurgia geral - 1 vaga Cirurgia vascular - 1 vaga Clínica médica - 3 vagas Dermatologia - cadastro reserva Ultrassonografia geral - 2 vagas Endoscopia digestiva - 1 vaga Endoscopia ginecológica - 1 vaga Gastroenterologia - cadastro reserva Geriatria - cadastro reserva Ginecologia e obstetrícia - cadastro reserva Hematologia e hemoterapia - cadastro reserva Hepatologia - cadastro reserva Infectologia hospitalar - cadastro reserva Medicina de emergência - 1 vaga Medicina do trabalho - 1 vaga Nefrologia - cadastro reserva Neurologia - cadastro reserva Nutrologia - cadastro reserva Oftalmologia (exige disponibilidade para viagens) - 1 vaga Pediatria - cadastro reserva Pneumologia - cadastro reserva Psiquiatria - 2 vagas Radiologia - 2 vagas Urologia - cadastro reserva Áreas assistenciais Assistência social - 1 vaga Biomedicina - cadastro reserva Enfermagem - 2 vagas Farmácia - cadastro reserva Fisioterapia - cadastro reserva Nutrição - 2 vagas Terapia ocupacional - cadastro reserva Técnico em análises clínicas - 1 vaga Técnico em citopatologia - 1 vaga Técnico em enfermagem - 2 vagas Técnico em farmácia - cadastro reserva Técnico em radiologia - cadastro reserva Áreas administrativas Análise administrativa - cadastro reserva Assistência administrativa - cadastro reserva Técnico em segurança do trabalho - cadastro reserva Nas vagas para as áreas médicas, o salário é de R$ 8.647, com carga horária semanal de 24 horas. Já nas assistenciais, os salários vão de R$ 2.170 a R$ 6.690, com carga horária semanal de até 40 horas. Em relação às áreas administrativas, os salários vão de R$ 2.451 a R$ 6,3 mil, com carga horária semanal de 40 horas. As pessoas aprovadas e convocadas serão contratadas sob o regime da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). Veja mais notícias da região no G1 São Carlos e Araraquara.
Veja Mais

20/11 - 'Vocês.viram Esse.Absurdo !?' — febre no WhatsApp, grupos de imitação crescem também no Facebook
Grupos para imitar sons de motos, caminhões, trejeitos de celebridades e até ‘idosos confusos’ viralizam e trazem de volta bom humor em tempos de polarização KATIE HORWICH/BBC Nos últimos tempos, uma nova febre surgiu nas redes sociais, na contramão das sérias discussões políticas que polarizam o Brasil nos últimos anos: os bem humorados grupos de imitação. No WhatsApp, já existem grupos que vão de imitar bordões populares — como o "Glória a Deux", de Cabo Daciolo, que se popularizou durante o período das eleições de 2018 e o "boa noite", de William Bonner— até imitar celebridades, como Marília Gabriela e Faustão, ou objetos inanimados como caminhões e motos. Mas a mania também está ganhando força no Facebook, onde um dos mais populares do "nicho" é o "Grupo para imitar idosos confusos com a tecnologia", que teve inspiração em um grupo americano, o "A group where we pretend to be boomers" (em tradução livre, "Um grupo onde fingimos ser baby boomers" — aqueles nascidos entre 1946 e 1964). O objetivo, como o próprio nome indica, é imitar os trejeitos de idosos pouco afeitos à tecnologia, sempre por meio de postagens e comentários repletos de vícios de linguagem e manias atribuídos aos mais velhos. Os participantes postam, por exemplo, questionamentos sobre a veracidade de memes humorísticos ou "mensagens erradas", supostamente confundindo o grupo com uma conversa privada ou fazendo perguntas a pessoas específicas sem marcá-las. Tudo com muitos erros — intencionais — de digitação. Hoje, com mais de 500 mil participantes, o grupo "dos idosos" recebe milhares de solicitações de novos membros por dia. Para dar conta da demanda e garantir que ninguém saia do "personagem", os donos da página contam com moderadores voluntários. Uma delas, Aline Eiko, de 23 anos, explica que foram criadas regras para que o grupo "não perdesse o foco" e para estabelecer diretrizes do que os participantes podem ou não postar. BBC: Postagens humorísticas supostamente confundindo o grupo com uma conversa privada fazem sucesso no grupo Reprodução Se uma pessoa sai do personagem, por exemplo, ela é silenciada por sete dias e recebe uma explicação dos moderadores para entender o porquê. Há ainda a possibilidade de ser banido do grupo, caso o participante quebre uma "regra pesada", como postar ofensas, conteúdo pornográfico, distribuição de fake news ou se for silenciado com muita frequência. Para o moderador Pedro Barbosa, de 20 anos, é "um grupo de comédia". E apesar de ter mudado sua rotina para poder dar conta de aprovar novos membros e analisar postagens, continua interagindo e comentando com seu "personagem". Além do Facebook Se no Facebook as pessoas se empolgaram com a ideia de escrever "como idosos", no WhatsApp a febre é mandar áudios imitando motos — e o que mais a criatividade permitir. Tem quem faça desde motos com cilindradas diferentes até motos com problemas de escapamento, dificuldades na ignição ou roncos poderosos. A ideia — que acabaria se desdobrando em diversos grupos com milhares de participantes — começou como uma brincadeira do estudante Lucas Pereira Pedroso, de 20 anos. Conheça brincadeira de imitação de motos iniciada por goiano que viralizou nas redes Na terça-feira, 22 de outubro deste ano, o jovem goiano teve a ideia de criar grupos no WhatsApp para imitar famosos. A ideia evoluiu e o estudante resolveu então criar um grupo para compartilhar áudios imitando o som de motos, algo que ele e seus amigos faziam pessoalmente. Foi um sucesso. À BBC News Brasil, Lucas conta que chegou a criar 50 grupos destinados a áudios de imitação de moto. Todos com a capacidade máxima de 257 participantes. "Não esperava essa proporção que tomou", diz. De espectadores a produtores Esse sucesso rápido deve-se, em parte, segundo o doutor em psicologia pela Universidade de São Paulo (USP) Leonardo Goldberg, a uma "completa mudança na lógica" do humor, uma vez que "os espectadores passaram a virar produtores de conteúdo". À BBC News Brasil, Goldberg diz não classificar o movimento como algo "positivo ou negativo", mas acredita que pode haver um efeito catártico em um momento de polarização nas redes sociais. "É uma brincadeira em grupo e isso pode ser muito interessante para o momento político atual do Brasil", diz. Válvula de escape e angústia de envelhecer Segundo especialista, piadas podem indicar 'angústia de envelhecer' Reprodução Já o doutor e mestre em Psicologia Social pela Universidade de São Paulo (USP) Antônio Carlos de Barros Júnior alerta que "não há humor inocente". Segundo ele, "sempre há uma agressividade subjacente, que é socialmente aceita por ser uma 'piada'" e apesar de haver uma identificação mútua entre os membros do grupo nessa agressividade que não aparece explicitamente, isso gera, segundo Freud, uma certa descarga de tensão e portanto uma satisfação que está presente não só na piada mas também nos fenômenos de bullying em geral".
Veja Mais

20/11 - Vai começar a publicar vídeos? Veja como ter conteúdo de boa qualidade no Youtube
Blog dá dicas de como preparar vídeo e roteiro e de como fazer a publicação na plataforma. Logo do YouTube Dado Ruvic/Reuters Na semana passada o blog deu dicas sobre como publicar vídeos com qualidade no IGTV, hoje, a coluna é sobre o que levar em consideração na hora de publicar vídeos no Youtube. A criação de um vídeo pessoal para publicar no Youtube é uma boa maneira de impressionar. Mas a audiência que ele irá receber depende de outros fatores — principalmente o conteúdo em si. Claro que é possível encontrar vídeos que viralizaram, mas que nem foram tão elaborados assim. Isso acontece por causa da originalidade que acabou despertando o interesse da audiência. Infelizmente, não existe uma fórmula sobre como criar um vídeo que irá impressionar os seguidores e que irá viralizar na internet. Produzir vídeos para um canal pessoal requer planejamento prévio sobre o que será registrado, técnicas de edição e estratégia de SEO (Search Engine Optimization), que permite melhorar a relevância da publicação nos sites de busca. Os primeiros passos 1 - Planeje o conteúdo As pessoas só vão assistir aos vídeos de um determinado canal se o conteúdo for do interesse delas. É comum encontrarmos publicações sobre temas do interesse do seguidor, mas a construção da narrativa ser confusa por falta de um planejamento prévio. O ideal é definir o propósito do vídeo, elencar a ordem lógica do que será dito, revisar e fazer algumas tentativas para ensaiar a apresentação. 2 - Identifique o público alvo Não há problema algum em fazer vídeos sobre diversos assuntos, mas direcionar o posicionamento do canal para um determinado público possibilita que exista uma estratégia mais definida de conteúdo e para a criação de uma reputação do canal. Por exemplo, se você quiser fazer vídeos sobre cuidados com os pets, planeje vídeos que tenham o máximo de conteúdo original e que possa ser de interesse de seguidores que procuram por esse assunto. 3 - Revise o roteiro Gravar vídeos não é apenas pressionar o botão e deixar a imaginação fluir. Em alguns casos isso pode funcionar, mas, para quem está começando, o ideal é planejar a sequência lógica do conteúdo. O vídeo não precisa ser o equivalente a uma palestra gravada sem interrupção. Faça a construção da narrativa em pequenos blocos que façam sentido. Isso permite que o conteúdo possa, depois, ser unido na edição. 4 - Reúna o material necessário para realizar a gravação Há alguns anos, para gravar um vídeo para o Youtube, era preciso investir muito dinheiro em equipamento de áudio e vídeo, já que os recursos presentes nos celulares eram apenas limitados e as boas câmeras digitais eram relativamente caras. Atualmente, os celulares, mesmo os considerados intermediários, já são capazes de gravar vídeos com ótima resolução e qualidade na captura do áudio. Lembre-se que não adianta filmar com resolução em 4K se o conteúdo não for interessante e o áudio for de qualidade inferior. 5 - Procure um local neutro para gravar O local onde o vídeo será gravado tem que conversar com o conteúdo. Ter um ambiente personalizado, repleto de elementos de decoração temática impressiona. Mas você não precisa investir tanto no início, o principal é buscar um local silencioso e bem iluminado. 6 - Não tenha medo de errar Dificilmente o vídeo que será publicado é aquele que foi gravado na primeira tentativa. Então, não se preocupe em tentar muitas vezes para que você consiga transmitir claramente o assunto que foi proposto. 5 - Utilize uma ferramenta de edição Para finalizar o trabalho, remover trechos desnecessários, adicionar elementos gráficos, trilha sonora e criar a narrativa desejada no vídeo, será preciso utilizar um programa de edição. Existem inúmeras opções e algumas ferramentas são pagas. Entre as gratuitas, o programa mais indicado é o Lightworks, o blog já mostrou como usá-lo para editar e publicar vídeos no Youtube. Como publicar o vídeo no Youtube É preciso completar os campos 'título' e 'descrição' no YouTube Studio antes de publicar um vídeo. Reprodução É preciso já ter uma conta no Google para fazer as publicações e acessar o Yotube Studio. Os leitores que tiverem uma conta de e-mail no Gmail, automaticamente já possuem uma conta no Google. Para quem não lembra da senha do Gmail, o blog já mostrou como recuperá-la. Acesse o painel de administração do YouTube Studio; Clique no botão “Criar” posicionado no canto superior direito. Esse botão oferece a possibilidade de realizar uma transmissão ao vivo ou publicar um vídeo salvo no PC; clique sobre a opção “Enviar vídeo”; Selecione o arquivo que será publicado. Uma dica, nomeie o arquivo de maneira que corresponda ao assunto abordado no vídeo. Isso ajuda a dar relevância no buscador do Youtube; Digite um título que diga exatamente qual é o assunto do vídeo e adicione uma breve descrição. Essas informações são essenciais para que as pessoas que pesquisarem sobre o assunto encontrem o seu vídeo; Informe a playlist e a classificação etária (se o vídeo pode ser assistido por crianças). Nessa etapa também é possível adicionar uma miniatura que será exibida quando o vídeo estiver na galeria. Faça uma captura de tela de um trecho que seja bem chamativo; Adicione cards para ajudar a promover o vídeo; Clique em "Publicar" ou agende a data e horário em que o vídeo será publicado; Clique no botão "Concluir" para finalizar a publicação; Pronto! O vídeo estará publicado e agora você já pode compartilha-lo nas suas redes sociais. Selo Ronaldo Prass Ilustração: G1
Veja Mais

20/11 - Ex-presidente da Braskem é preso nos EUA por acusações de corrupção
José Carlos Grubisich foi acusado ainda de lavagem de dinheiro. Ex-presidente da Braskem é preso nos Estados Unidos O ex-presidente da Braskem José Carlos Grubisich foi preso nesta quarta-feira (20) em Nova York por acusações de ter participado de um esquema para pagar milhões de dólares em subornos para garantir contratos governamentais. Grubisich foi acusado pelo tribunal federal do Brooklyn de conspiração para violar uma lei de corrupção estrangeira dos EUA e por conspiração para lavagem de dinheiro. O advogado de Grubisich, Daniel Stein, da empresa Mayer Brown, não foi localizado pela agência Reuters para comentar. O G1 procurou a assessoria da Braskem para questionar se a empresa iria comentar o caso, e aguarda retorno. De acordo com a Reuters, o executivo foi preso no aeroporto John F. Kennedy, em Nova York, e deveria comparecer ao tribunal no fim do dia, segundo John Marzulli, porta-voz do gabinete do procurador dos EUA, Richard Donoghue. Para o procurador regional da República Antônio Carlos Welter, integrante da força-tarefa da Lava Jato, “a notícia evidencia a importância dos acordos de leniência celebrados pelo Ministério Público Federal e que a justiça cada vez mais é global". "Há fatos ainda sob investigação em diferentes países, em diferentes níveis de maturidade, para que os responsáveis pelos graves crimes revelados pelo acordo possam ser responsabilizados nos países que cooperam intensamente com as apurações da força-tarefa", disse Welter em nota. José Carlos Grubisich em foto de 2015, quando era presidente da Eldorado Brasil Mariane Rossi/G1 Grubisich liderou a Braskem entre 2002 e 2008 e ocupou vários cargos na construtora Odebrecht, principal acionista da companhia. Mais tarde, ele se tornou presidente-executivo da fabricante de celulose Eldorado Brasil, de onde saiu em 2017. Na acusação, os promotores disseram que Grubisich e outros funcionários da Braskem e da Odebrecht participaram de uma conspiração para desviar cerca de US$ 250 milhões para um fundo secreto, que foi usado em parte para subornar funcionários. O esquema teria ocorrido entre 2002 e 2014, de acordo com o indiciamento. Como presidente da Braskem, Grubisich teria ajudado a encobrir o esquema, falsificando os livros da empresa e assinando certificações falsas à reguladora do mercado de capitais nos EUA, a SEC, disseram os promotores. Os promotores disseram ainda, no processo judicial, que Grubisich não deveria ser libertado sob fiança porque apresenta alto risco de fugir dos EUA. Braskem e Odebrecht concordaram em 2016 em pagar um total combinado de US$ 3,5 bilhões em um acordo com autoridades dos EUA, Brasil e Suíça para resolverem as acusações de suborno. O Departamento de Justiça dos EUA disse na época que cerca de US$ 2,6 bilhões viriam da Odebrecht e US$ 957 milhões da Braskem, e que a maior parte do dinheiro seria destinado ao Brasil. Tanto a Braskem quanto a Odebrecht se declararam culpadas de acusações criminais norte-americanas como parte do acordo, que emergiu da operação Lava Jato.
Veja Mais

20/11 - Ata do Fed mostra taxas em suspenso, sem clareza sobre novas mudanças
Na reunião de outubro, o BC dos EUA decidiu cortar a taxa básica de juros no país pela segunda vez no ano. Jerome Powell, chefe do Federal Reserve, em foto de 31 de julho de 2019 Sarah Silbiger/Reuters Um Federal Reserve (Fed) crescentemente dividido que decidiu dar uma pausa em seu ciclo de afrouxamento monetário após cortar a taxa de juros em outubro deu poucas indicações sobre o que pode levar os formuladores de política a mudar de opinião sobre as perspectivas, mostrou a ata da última reunião divulgada nesta quarta-feira (20). O texto sobre a última discussão sobre a política monetária dos Estados Unidos, em 29 e 30 de outubro, quando o Fed votou por 8 a 2 para reduzir a taxa de juros em 0,25 ponto percentual, também mostrou que as autoridades discutiram mais a possibilidade de estabelecer um mecanismo permanente de compromissadas após distúrbios recentes nos mercados de moeda de curto prazo. "A maioria dos participantes avaliou que a posição da política, após uma redução de 25 pontos básicos nesta reunião, seria bem calibrada para sustentar a perspectiva de crescimento moderado, um mercado de trabalho forte e inflação próxima à meta do comitê de 2%", afirmou o Fed na ata. Após a reunião, o chefe do Fed, Jerome Powell, sinalizou que o Fed estava em modo de espera e que isso só mudará se houver uma "uma reavaliação material de nossas perspectivas".
Veja Mais

20/11 - BC organiza mutirão para renegociação de dívidas bancárias antes do Natal, diz Campos Neto
Presidente do Banco Central também afirmou que deve entrar em operação no fim de 2020 sistema instantâneo de pagamentos para permitir transações bancárias 24 horas por dia. Presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, durante audiência pública na CMO. Alexandro Martello / G1 O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, afirmou nesta quarta-feira (20), durante audiência pública na Comissão Mista de Orçamento (CMO) do Congresso Nacional, que a instituição está organizando um mutirão para os clientes renegociarem suas dívidas com os bancos antes do Natal e do Ano Novo. Segundo ele, a intenção é que as instituições financeiras abram suas agências, além do horário normal de expediente, para renegociar as dívidas dos clientes. Com isso, eles poderão "limpar" o nome e realizar novas compras neste fim de ano. "Vai estar atrelada à educação financeira", disse Campos Neto, explicando que, no mutirão, também serão concedidos cursos de como melhor administrar os recursos e evitar linhas bancárias "emergenciais", como cheque especial e cartão de crédito rotativo, com taxas de juros muito elevadas. Ele afirmou que, para 2020, há outras ações de educação financeira sendo programadas pelo Banco Central. "Queremos fazer [ações] junto com os 'bureaus' de crédito. Que quem faça o curso, acaba tendo uma classificação de crédito superior atrelado a ganhar pontos que gerem desconto em produtos financeiros. Porque quem tem mais educação financeira tem menos inadimplência", disse Campos Neto. O presidente do BC voltou a observar que as linhas de crédito emergenciais (cheque especial e cartão de crédito rotativo) tiveram queda de juros nos últimos meses, mas em patamar bem inferior ao restante das linhas bancárias. "Para 85% da massa de crédito, os juros vêm caindo. Nos produtos emergenciais caíram menos", declarou. Ele disse novamente que o BC deve lançar, até o fim do ano, um plano para baixar os juros do cheque especial das pessoas físicas, atualmente acima de 300% ao ano. "É um produto muito regressivo. Quem está pagando o custo está embaixo na pirâmide. É como se quem estivesse embaixo pagasse o luxo de quem está em cima. É um produto mais usado pela renda mais baixa e por quem tem menos educação financeira. Precisamos fazer uma reengenharia para diminuir regressividade", disse. Para baixar o chamado "spread" bancário, que é a diferença entre a taxa de captação (quanto os bancos pagam pelos recursos) e o que cobram do tomador final do crédito, ele afirmou que é preciso organizar melhor as garantias dadas nas operações de crédito e, também, agilizar o processo de recuperação desses bens. "Hoje, a recuperação de crédito é um processo judicial que leva muito tempo. Precisamos aperfeiçoar", afirmou. Pagamentos instantâneos Campos Neto também afirmou na Comissão Mista de Orçamento que o Banco Central quer implementar, até o fim de 2020, um sistema de pagamentos instantâneo que funcionará sete dias por semana, 24 horas por dia. A ideia é permitir as transações a qualquer momento e torná-las mais baratas. Atualmente, os clientes têm de utilizar os DOCs e TEDs e pagar os custos envolvidos. "Os pagamentos instantâneos devem estar funcionando no fim do ano que vem. O dinheiro vai sair de uma conta para outra, independente de quem seja, empresa ou pessoa física, 24 horas por dia, sete dias por semana. Diminui a demanda por dinheiro em espécie", declarou. O chamado "ecossistema" de pagamentos instantâneos brasileiro será formado pelo arranjo aberto instituído pelo BC, pelos prestadores de serviços de pagamento participantes do arranjo e pelo Sistema Pagamentos Instantâneos (SPI). O BC será o desenvolvedor, o operador e o gestor da base de dados única e centralizada do "ecossistema". Essa base de dados armazenará as informações das chaves ou apelidos que servem para identificar as contas transacionais dos usuários recebedores de maneira intuitiva e simplificada, permitindo que o usuário pagador utilize informações que ele já possui sobre o usuário recebedor para iniciar o pagamento.
Veja Mais

20/11 - Entenda se vale a pena pegar um empréstimo
Marina Proença responde perguntas sobre empreendedorismo Muitos micro e pequenos empreendedores me escrevem perguntando se vale a pena pegar um empréstimo no banco e a minha resposta inicial é sempre a mesma. Se você está me perguntando isso, não pegue. E agora tenho a chance de explicar porque eu sempre repito isso. Se você não consegue responder sozinho a essa pergunta é porque não tem claras as razões pela tomada de crédito nem a sua capacidade de pagar as prestações. E isso deve estar acontecendo porque você não tem o seu planejamento financeiro em dia. Você pode ter aberto mão de planejar a sua vida financeira pessoal, mas a da sua empresa tem que estar sempre atualizada. Não precisamos colocar o crédito bancário como um grande vilão que aterroriza o empreendedor ou as pessoas em geral. Mas se ele não for utilizado da maneira correta, vai criar muitos pesadelos para você, seu negócio e sua família. Isso porque, se não for tomado de forma muito consciente, o empréstimo pode não valer a pena e acabar gerando a tão temida e conhecida bola de neve de endividamento. Você pode acabar pegar crédito pelas razões erradas, no momento errado, não conseguir pagar as parcelas e acabar com mais problemas do que tinha antes de pedir o dinheiro no banco. Então como evitar isso? Em primeiro lugar, entenda a razão pela qual você está indo atrás do crédito. Veja as possíveis opções: pagar dívidas abrir um negócio ter capital de giro fazer crescer o seu negócio Em seguida e antes de ir procurar o crédito, entenda como se preparar para tomar o crédito. Você pode e deve começar a estudar sozinho, mas também pode contar com o apoio de algumas instituições que podem ajudar você a entender e planejar as suas finanças. Está aqui uma lista com oito opções para você ficar de olho. Algumas têm cursos, outras podem dar orientações específicas para seu negócio: Sebrae-SP Empreende Aí Aventura de Construir Mensageiros da Esperança AfroBusiness Brasil Instituto Alinha Consulado da Mulher CIEDS Só depois de entender bem como vai utilizar esse dinheiro e se está na hora de assumir uma dívida é que você deve procurar os bancos ou instituições financeiras que podem conceder o crédito. O item mais básico de todos é conseguir comprovar capacidade de pagar o empréstimo tomado – portanto, seus controles financeiros de entrada e saída na empresa são essenciais. E se você não tem a empresa aberta ainda, precisa ter o seu plano de negócios minimamente estruturado. O crédito mais comum para o micro ou pequeno empreendedor é o Microcrédito Produtivo Orientado, estimulado pelo governo e que tem taxa de juros de até 4% ao mês, ou seja, até 60% no ano. Nessa modalidade um especialista vai entender o negócio, muitas vezes até visitá-lo e então achar a melhor opção para você. Tome muito cuidado com instituições que você não conhece e com taxas de juros muito altas. Fazer pesquisa é sempre necessário. Hoje em dia já existem opções com viés social, onde a taxa de juros anual é bem menor, cerca de 12% ao ano. Uma dessas opções é a Firgun, uma rede de financiamentos para empreendedores que não encontraram alternativas porque tem o nome negativado. O mais importante? Estar preparado e não fazer dívida sem planejamento. Falaremos mais sobre crédito nas próximas semanas. Bons negócios.
Veja Mais

20/11 - Prefeitura de Londrina realiza teste seletivo para contratar 25 engenheiros civis
Seleção será realizada por meio de análise de títulos acadêmicos e profissionais. Inscrições devem ser feitas pela internet a partir de 25 de novembro. Prefeitura de Londrina seleciona engenheiros civis Prefeitura de Londrina/Divulgação A Prefeitura de Londrina, no norte do Paraná, abre, no dia 25 de novembro, as inscrições para um teste seletivo que vai contratar 25 engenheiros civis. As vagas são temporárias, os contratos serão válidos por um ano e podem ser renovados pela administração municipal pelo mesmo período. O teste não terá prova, a seleção será feita por meio de avaliação de títulos acadêmicos e profissionais. Os interessados devem se inscrever pelo site da prefeitura até as 15h do dia 10 de dezembro. A taxa de inscrição custa R$ 74. CONFIRA O EDITAL Do total de vagas, 21 são para ampla concorrência, duas destinadas para afro-brasileiro, uma para pessoa com deficiência e uma afro-brasileiro com deficiência física. O profissional deverá cumprir uma jornada de trabalho de 30 horas semanais. O salário é de R$ 6.808,12. Veja mais notícias da região no G1 Norte e Noroeste.
Veja Mais

20/11 - Bolsonaro sanciona lei para criar estatal de serviços de navegação aérea
NAV Brasil será criada a partir da divisão da Infraero. Governo propôs a criação da empresa pública por medida provisória, aprovada pela Congresso Nacional. O “Diário Oficial da União” publicou nesta quarta-feira (20) a sanção pelo presidente Jair Bolsonaro da lei 13.903, que autoriza o governo a criar a empresa NAV Brasil Serviços de Navegação Aérea. A nova estatal do país será resultado da divisão da Infraero. A autorização para criar a empresa pública foi proposta pelo próprio governo, por meio de uma medida provisória, aprovada pela Câmara e pelo Senado. A lei sancionada abre espaço para que a empresa se torne sociedade de economia mista, com a participação de capitais privados. A NAV Brasil será vinculada ao Ministério da Defesa, por meio do Comando da Aeronáutica. Sua sede será no Rio de Janeiro e todo o capital social será da União. Segundo o texto sancionado, a divisão parcial da Infraero será definida por meio de deliberação da Assembleia Geral da empresa, após manifestação do Conselho de Administração e ouvido o Conselho Fiscal. Com a divisão, a Infraero cuidará da administração da infraestrutura dos aeroportos, enquanto a NAV Brasil terá o objetivo de “implementar, administrar, operar e explorar industrial e comercialmente a infraestrutura aeronáutica destinada à prestação de serviços de navegação aérea”. A nova estatal terá como fonte de recursos, entre outras, as tarifas de navegação aérea; recursos originados por suas próprias atividades e convênios, além de rendas patrimoniais. Os trabalhadores da empresa serão regidos pela Consolidação das Leis do Trabalho, mas serão selecionados em concurso público.
Veja Mais

20/11 - Confiança do empresário sobe em novembro e atinge maior patamar em 9 meses
Índice de Confiança do Empresário Industrial aumentou 3,2 pontos frente a outubro, informou a Confederação Nacional da Indústria. Valor está abaixo da marca de novembro do ano passado. O Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI) aumentou 3,2 pontos em novembro, na comparação com outubro, e alcançou 62,5 pontos em novembro – o maior patamar desde fevereiro, ou seja, em nove meses, informou a Confederação Nacional da Indústria (CNI) nesta quarta-feira (20). A pesquisa foi feita entre os dias 1º e 12 de novembro, com 2.445 empresas. Os indicadores do ICEI, lembrou a CNI, variam de zero a 100 pontos. Quando estão acima de 50 pontos mostram que os empresários estão confiantes. De acordo com a entidade, o indicador de novembro ficou 7,9 pontos acima da média histórica que é de 54,6 pontos. Entretanto, ainda está abaixo do patamar de novembro do ano passado (63,2 pontos). "Os empresários já estão vendo melhora em sua empresa e na economia como um todo. Há o sentimento de que as expectativas otimistas estão se materializando", afirmou o economista da CNI, Marcelo Azevedo. Para a entidade, o aumento da confiança estimula a recuperação da economia brasileira à medida que impulsiona o aumento da produção e a retomada do investimento. "A elevada confiança está baseada tanto no sentimento de melhora da situação corrente como nas expectativas para os próximos seis meses", acrescentou. Condições atuais e expectativas O estudo da entidade informa que o "Índice de Condições Atuais", um dos componentes do ICEI, alcançou 56,3 pontos, o maior nível desde outubro de 2010. O índice está 3,6 pontos acima do registrado em novembro de 2018. Já o "Índice de Expectativas", outro componente do ICEI, subiu para 65,6 pontos neste mês. Porém, está 2,9 pontos abaixo do verificado em novembro do ano passado. Por regiões A confiança melhorou em todas as regiões do país, segundo a CNI, e é maior no Centro-Oeste, onde alcançou 63,8 pontos. Em seguida, aparece a região Sul, com 63,4 pontos. No Norte foi de 63,2 pontos, no Sudeste, ficou em 61,9 pontos e, no Nordeste, em 61,5 pontos. De acordo com a Confederação Nacional da Indústria, a confiança é maior nas médias e grandes empresas; em ambos os segmentos o ICEI alcançou 62,8 pontos neste mês. Nas pequenas o indicador ficou em 61,5 pontos.
Veja Mais

20/11 - Alibaba movimenta até US$ 12,9 bilhões em oferta de ações em Hong Kong
Trata-se do maior valor já movimentado em uma oferta na cidade em 9 anos e um recorde mundial de venda secundária de ações transnacional. Gigante chinês de comércio eletrônico Alibaba Group Reuters O gigante chinês do comércio eletrônico Alibaba Group movimentou até US$ 12,9 bilhões em uma oferta de ações histórica em Hong Kong, a maior da cidade em nove anos e um recorde mundial de venda secundária de ações transnacional. O grupo fundado pelo excêntrico milionário Jack Ma, que em 2014 realizou o maior lançamento na bolsa de todos os tempos em Wall Street, escolheu a praça chinesa para captar fundos que lhe permitirão se desenvolver mundialmente. Trata-se da mais importante entrada na Bolsa de Hong Kong desde a da seguradora AIA, em 2010, que arrecadou US$ 20,5 bilhões. A operação é vista como um impulso para Hong Kong, após mais de cinco meses de protestos contra o governo e seu recente deslize para sua primeira recessão em uma década. O Alibaba disse em comunicado que havia cotado as ações em 176 dólares de Hong Kong (US$ 22,49) cada, um desconto de 2,9% em relação ao preço de fechamento em Nova York. O preço significa que a oferta movimentou pelo menos 88 bilhões de dólares de Hong Kong (US$ 11,3 bilhões) - um total simbólico porque o número 8 está associado à prosperidade e boa sorte na cultura chinesa. O total movimentado com o negócio pode chegar a US$ 12,9 bilhões, se exercida a opção de lote suplementar. A Alibaba também escolheu o código de ações 9988 para sua listagem, que combina dois dos números vistos como os que têm mais sorte, simbolizando uma prosperidade duradoura. As ações da Alibaba fecharam em Nova York na terça-feira a US$ 185,25. Uma das American Depositary Shares (ADS) listadas na Alibaba em Nova York vale oito de suas ações de Hong Kong. Enquanto o desconto no último fechamento da Alibaba foi fixado em 2,9%, os analistas observaram que o preço representava um desconto de 3,7% em relação ao preço das ações da Alibaba em 12 de novembro - um dia antes do lançamento do negócio.
Veja Mais

20/11 - Prefeituras do Oeste Paulista têm concursos e processos seletivos com inscrições abertas na área de educação
Também há uma oportunidade para médico em Rinópolis. Interessados devem se inscrever pela internet. Prefeitura de Martinópolis tem processo seletivo aberto para professores Arquivo G1 Quatro Prefeituras do Oeste Paulista têm concursos públicos e processos seletivos com inscrições abertas para a área de educação. Também há uma vaga para médico em Rinópolis. Confira as oportunidades: Euclides da Cunha Paulista A Prefeitura de Euclides da Cunha Paulista tem processo seletivo para formação de cadastro reserva de professores. As inscrições seguem até 24 de novembro de 2019. A taxa é de R$ 30. Os cargos disponíveis para cadastro reserva são: professor de arte - PEB, professor de creche, professor de educação física, professor de ensino fundamental - PEB I, professor de música, professor educação especial - PEB I, professor de Educação Jovens e Adultos (EJA), professor de creche (estudante) e professor de ensino fundamental - PEB I (estudante). Os contratados terão carga horária de 18 a 40 horas semanais e a remuneração para o cargo de professor EJA será de R$ 1.234,38. A seleção será realizada por meio de prova objetiva prevista para o dia 15 de dezembro de 2019 e prova de títulos. Para mais detalhes, confira o edital. Presidente Epitácio A Prefeitura de Presidente Epitácio abriu processo seletivo para formação de cadastro reserva na área da educação. As inscrições podem ser realizadas até o dia 1º de dezembro de 2019 pela internet. A taxa de inscrição é de R$ 19. Os cargos disponíveis para cadastro reserva são para professores de educação básica, auxiliar de serviços gerais, merendeira e auxiliar de desenvolvimento infantil. O edital completo pode ser conferido aqui. Rinópolis A Prefeitura de Rinópolis tem concurso público com inscrições abertas para o preenchimento de uma vaga no cargo de médico (ESF). Interessados devem se candidatar até as 12h de 20 de novembro, pela internet. A taxa é de R$ 80. O candidato deve possuir escolaridade em nível superior completo em medicina, bem como registro no Conselho Regional de Medicina (CRM). A carga horária de trabalho deve ser de 40 horas semanais e a remuneração mensal de R$ 2.251,65, mais gratificação, conforme os termos do artigo 6 da lei municipal nº 1.899/2019. A seleção será realizada por meio de prova escrita, cuja aplicação está prevista para 1º de dezembro, em local e horário a serem informados. Mais detalhes podem ser consultados no edital. Junqueirópolis A Prefeitura Junqueirópolis abriu concurso público para a contratação de seis profissionais que tenham ensinos fundamental e superior nas áreas exigidas. Há oportunidades disponíveis para os seguintes cargos: motorista, professor assistente e professor de educação básica 2. Os profissionais contratados receberão uma remuneração que varia de R$ 16,81 por hora-aula e R$ 1.027,89 a R$ 3.362,19. Os interessados podem se inscrever até o dia 29 de novembro de 2019 pela internet. O valor da taxa de inscrição é de R$ 9. Mais informações podem ser conferidas no edital. O Poder Executivo de Junqueirópolis ainda possui um processo seletivo para contratação de professores. Os interessados devem se inscrever até o dia 6 de dezembro pela internet. A taxa de inscrição também é de R$ 9. Mais informações podem ser conferidas no edital. Martinópolis A Prefeitura de Martinópolis abriu processo seletivo para formação de cadastro reserva de professores dos ensinos infantil e fundamental e educação especial. Os interessados podem se inscrever pela internet até o dia 5 de dezembro. A taxa de inscrição custa R$ 9,40. A carga horária varia de 24 a 32 horas semanais e a hora/aula de R$ 8,65 a R$ 15,41. Mais informações podem ser obtidas no edital. Veja mais notícias em G1 Presidente Prudente e Região.
Veja Mais

20/11 - Arrecadação de outubro foi de R$ 135 bilhões, afirma secretário da Receita Federal
Secretário falou durante reunião da Comissão de Finanças da Câmara dos Deputados. Em setembro, a arrecadação somou R$ 113,933 bilhões. O secretário da Receita Federal, José Barroso Tostes Neto, afirmou nesta quarta-feira (20) que a arrecadação de impostos, contribuições e demais receitas federais de outubro foi de cerca de R$ 135 bilhões. Em outubro de 2018, a arrecadação foi de R$ 131,8 bilhões. Já em setembro de 2019, a arrecadação foi de R$ 113,933 bilhões. A afirmação foi dada durante reunião da Comissão de Finanças e Tributação da Câmara dos Deputados para discutir as novas diretrizes do trabalho da Receita. Reforma tributária Durante a reunião da comissão, Tostes afirmou que todas as duas propostas de emenda à Constituição (PEC) que tratam da Reforma Tributária – uma na Câmara e outra no Senado – tem pontos positivos e interessantes que contribuirão para o debate. “Todas as duas têm pontos positivos que achamos importante serem aproveitados no modelo final que será construído”, afirmou. Tostes afirmou que a Reforma Tributária é uma prioridade e será encaminhada ao Congresso Nacional ainda este ano. Imposto sobre transação financeira Durante a reunião da comissão, Tostes afirmou que o governo apresentará nenhuma proposta sobre imposto de transação financeira parecido com a Contribuição Provisória Sobre Movimentação Financeira (CPMF). “Com relação ao imposto de transação financeira, certamente isso será discutido no Congresso, mas isso não constará da proposta do governo”, afirmou Tostes aos deputados.
Veja Mais

20/11 - China corta taxa de juros para ajudar economia
Com o crescimento desacelerando e um acordo comercial com os EUA se mostrando difícil, país tem aumentado ritmo de flexibilização dos custos de financiamento de empresas. China moeda local iuan AP A China reduziu nesta quarta-feira (20) a sua taxa de referência de empréstimos, como esperado, para reduzir os custos de financiamento de empresas e fortalecer uma economia afetada pela desaceleração da demanda e tarifas comerciais dos EUA. O corte foi o segundo de uma taxa importante chinesa nesta semana e ocorreu um dia após o presidente do banco central do país, Yi Gang, afirmar que Pequim aumentaria o apoio ao crédito e reduziria as taxas de empréstimos reais, à medida que a pressão sobre a segunda maior economia do mundo aumenta. Com o crescimento desacelerando para o menor ritmo em quase 30 anos e um acordo comercial parcial com os EUA se mostrando difícil, a China lentamente aumentou seu ritmo de flexibilização das políticas nas últimas semanas. PIB da China cresce 6% no 3º trimestre, ritmo mais fraco em quase 30 anos Demandas da China podem expandir significativamente 'fase um' de acordo comercial com EUA A taxa de um ano, estabelecida pelo Banco Popular da China com base em cotações de um painel de bancos, caiu para 4,15%, de 4,20% em outubro. A taxa de cinco anos foi reduzido a 4,80%, de 4,85%. A LPR de um ano foi reduzida três vezes desde que se tornou a referência oficial de empréstimos em agosto, e os cortes duplos desta semana sugerem que o BC chinês está disposto a avançar com a redução dos custos de financiamento em toda a curva, apesar das pressões inflacionárias devido ao aumento dos preços da carne suína em razão do surto de peste suína africana. Todos os 64 participantes de uma pesquisa feita pela Reuters nesta semana previram uma redução na taxa de um ano, que é definido no dia 20 de cada mês. Trinta e sete entrevistados também esperavam que a taxa de cinco anos fosse cortada pela primeira vez. Bolsas da China caem com receios sobre negociações comerciais As bolsas na China fecharam em queda nesta quarta-feira (20), em meio a renovadas preocupações sobre as negociações comerciais entre as duas maiores economias do mundo, depois que Pequim condenou uma medida do Senado dos Estados Unidos em apoio a manifestantes antigovernamentais no centro financeiro asiático. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, caiu 1%, enquanto o índice de Xangai perdeu 0,8%. Em um comunicado, o Ministério das Relações Exteriores da China disse que os EUA deveriam parar de interferir nos assuntos chineses e de Hong Kong. A China condenou a aprovação de um projeto de lei pelo Senado dos EUA com o objetivo de proteger os direitos humanos em Hong Kong, em meio a confrontos entre manifestantes pró-democracia e polícia. Sinais conflitantes de Washington e Pequim nos últimos dias frustraram as esperanças do mercado sobre um desfecho no embate comercial entre as duas economias. O presidente Donald Trump disse que os Estados Unidos aumentariam as tarifas sobre as importações chinesas se nenhum acordo for alcançado com Pequim.
Veja Mais

20/11 - BC autoriza participação de até 100% de capital estrangeiro na XP
Medida viabiliza a oferta pública inicial de ações que a empresa pretende fazer na Nasdaq. O Banco Central (BC) publicou nesta quarta-feira (20) no Diário Oficial da União (DOU) a autorização de participação de até 100% de capital estrangeiro, de forma direta ou indireta, na corretora XP Investimentos e no Banco XP. A notícia havia sido antecipada na véspera pelo Valor Econômico. A medida viabiliza a oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) que a XP pretende fazer na Nasdaq, nos Estados Unidos. O pedido foi protolocado na Securities and Exchange Commission (SEC, a CVM americana) na semana passada. J.P. Morgan, Morgan Stanley, Goldman Sachs, XP Investimentos e Itaú BBA são os coordenadores globais da oferta. Bank of America, Citi, Credit Suisse e UBS também estão na operação. A companhia, que se apresenta como a maior plataforma independente de investimentos do país, com 1,5 milhão de clientes, afirmou no prospecto preliminar da oferta que pretende usar os recursos a serem captados na oferta primária para entrar em novos segmentos da indústria financeira, como corretagem de seguros, em cartões de crédito, banco digital e empréstimos com garantia. Fundada em 2001, a XP cresceu fortemente nos últimos anos, aproveitando o crescente interesse de pessoas físicas por novas classes de investimentos, à medida que o juro básico da economia tem caído para mínimas históricas. A plataforma também é dona das marcas Rico e Clear. Em 2017, o Itaú Unibanco comprou 49,9% da XP Investimentos. No fim do ano passado, o Banco Central autorizou a criação do Banco XP, um banco múltiplo com carteiras comercial e de investimento. Em julho, o fundador da XP Investimentos, Guilherme Benchimol, defendeu a abertura de capital da companhia como um caminho para “abrir a cabeça da empresa”, mas disse que a XP não será vendida "nem para o Itaú, nem para ninguém”.
Veja Mais

20/11 - Bolsas da China caem com receios sobre negociações comerciais
China condenou a aprovação de um projeto de lei pelo Senado dos EUA com o objetivo de proteger os direitos humanos em Hong Kong. Investidor passa em frente a display de ações em Xangai, China. Aly Song/Reuters As bolsas na China fecharam em queda nesta quarta-feira (20), em meio a renovadas preocupações sobre as negociações comerciais entre as duas maiores economias do mundo, depois que Pequim condenou uma medida do Senado dos Estados Unidos em apoio a manifestantes antigovernamentais no centro financeiro asiático. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, caiu 1%, enquanto o índice de Xangai perdeu 0,8%. Em um comunicado, o Ministério das Relações Exteriores da China disse que os EUA deveriam parar de interferir nos assuntos chineses e de Hong Kong. A China condenou a aprovação de um projeto de lei pelo Senado dos EUA com o objetivo de proteger os direitos humanos em Hong Kong, em meio a confrontos entre manifestantes pró-democracia e polícia. Sinais conflitantes de Washington e Pequim nos últimos dias frustraram as esperanças do mercado sobre um desfecho no embate comercial entre as duas economias. O presidente Donald Trump disse que os Estados Unidos aumentariam as tarifas sobre as importações chinesas se nenhum acordo for alcançado com Pequim. Demandas da China podem expandir significativamente 'fase um' de acordo comercial com EUA A China reduziu sua taxa básica de juros nesta quarta-feira, como esperado, para reduzir os custos de financiamento de empresas e sustentar uma economia afetada pela desaceleração da demanda e das tarifas comerciais dos EUA. Em TÓQUIO, o índice Nikkei recuou 0,62%, a 23.148 pontos. Em HONG KONG, o índice HANG SENG caiu 0,75%, a 26.889 pontos. Em XANGAI, o índice SSEC perdeu 0,78%, a 2.911 pontos. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em XANGAI e SHENZHEN, retrocedeu 0,99%, a 3.907 pontos. Em SEUL, o índice KOSPI teve desvalorização de 1,30%, a 2.125 pontos. Em TAIWAN, o índice TAIEX registrou baixa de 0,22%, a 11.631 pontos. Em CINGAPURA, o índice STRAITS TIMES desvalorizou-se 0,28%, a 3.229 pontos. Em SYDNEY o índice S&P/ASX 200 recuou 1,35%, a 6.722 pontos.
Veja Mais

20/11 - Demandas da China podem expandir significativamente 'fase um' de acordo comercial com EUA
Analistas avaliam que "fase um" de acordo pode ser adiada para o próximo ano. Presidente da China, Xi Jinping, e presidente dos EUA, Donald Trump, se cumprimentam em imagem de novembro de 2017. Damir Sagolj/Reuters A "fase um" de um pacto comercial entre os Estados Unidos e a China deveria ser um acordo limitado que permitiria aos líderes de ambos os países reivindicar uma vitória fácil enquanto acalmavam os mercados financeiros. Mas pode se transformar em algo maior se o presidente dos EUA, Donald Trump, concordar com as exigências de Pequim de reverter as tarifas existentes sobre produtos chineses, dizem pessoas familiarizadas com as negociações. O Ministério do Comércio da China disse neste mês que a remoção de tarifas impostas durante a guerra comercial é uma condição importante para qualquer acordo. A demanda faz com que as autoridades norte-americanas se perguntem se maiores compras chinesas de produtos agrícolas dos EUA, promessas de melhor acesso ao setor de serviços financeiros da China e promessas de proteger a propriedade intelectual são suficientes para pedir em troca. Guerra comercial: entenda as tensões entre China e EUA e as incertezas para a economia mundial Duas pessoas a par das negociações disseram que Trump decidiu que reverter as tarifas existentes, além de cancelar uma imposição programada de tarifas em 15 de dezembro sobre US$ 156 bilhões em bens de consumo chineses, exige concessões mais profundas da China. "O presidente quer a opção de ter um acordo maior com a China. Maior do que apenas o pequeno acordo" anunciado em outubro, disse Derek Scissors, um estudioso da China do American Enterprise Institute em Washington. Scissors, que consulta as autoridades do governo, disse que a chance de Trump concordar em remover as tarifas existentes depende em grande parte se ele acreditar que isso beneficiará suas chances de reeleição. Alguns consultores da Casa Branca gostariam de ver a China concordando com grandes compras agrícolas específicas, enquanto os EUA mantêm tarifas existentes para poder futuro. Isso ajudaria o círculo eleitoral de Trump, ao mesmo tempo em que permitiria ao presidente fazer campanha para manter sua postura "dura com a China", que apela aos eleitores em Estados-chave como Ohio, Michigan e Pensilvânia. Mas Pequim está se recusando a se comprometer com uma quantidade específica de compras de produtos agrícolas, dentro de um período de tempo específico, e quer permitir que a oferta e a demanda ditem acordos. Pequim também quer que Trump elimine as tarifas de 15% sobre 125 bilhões de dólares em mercadorias chinesas impostas em 1º de setembro, além de fornecer um alívio às tarifas de 25% impostas a uma lista anterior de 250 bilhões de dólares em bens industriais e de consumo. Um especialista em comércio de Washington disse que, para atingir a faixa entre US$ 40 bilhões e US$ 50 bilhões em compras anuais chinesas de produtos agrícolas norte-americanos anunciados por Trump em outubro, ele provavelmente teria que eliminar todas as tarifas que os EUA estabeleceram desde o início da guerra comercial em 2018. Trump e o representante comercial dos EUA, Robert Lighthizer, reconhecem que fazer tais concessões para um acordo comercial "magro" que não atenda às questões essenciais de propriedade intelectual e transferência de tecnologia não é um negócio muito bom para Trump, disse uma segunda pessoa a par do telefonema comercial do fim de semana passado. Trump é o tomador de decisão final nos EUA em qualquer acordo e ainda não se comprometeu com detalhes específicos, dizem os assessores da Casa Branca. A "fase um" de um acordo comercial, que antes deveria ser concluído poucas semanas após uma entrevista coletiva em outubro entre Trump e o vice-primeiro-ministro chinês Liu He, agora pode ser adiada para o próximo ano, dizem especialistas em comércio.
Veja Mais

20/11 - É possível saber se o seu celular está sendo espionado?
Proteções beneficiam quem se previne, mas espionagem não costuma deixar rastros. É importante estar atento e com as proteções em dia. Programas espiões podem ser difíceis de identificar. REUTERS/Sergio Perez Celulares armazenam praticamente toda a nossa vida digital, das mensagens às fotos, da navegação on-line aos pedidos de delivery. Não é incomum — a julgar pelas dúvidas recebidas pelo blog — suspeitar que alguém, seja uma pessoa próxima ou hacker, esteja espionando o celular para bisbilhotar nossa vida. Infelizmente, é muito difícil de saber se nossa privacidade está sendo realmente invadida. Periciar ou analisar celulares para encontrar evidências de espionagem não é nada simples e faltam ferramentas adequadas e profissionais qualificados. No iPhone, o funcionamento do sistema iOS é tão rígido que não existem antivírus – e, na maioria dos casos, eles não são mesmo necessários. A evolução a passos largos dos sistemas de celular colabora com essa situação. Compare: desde o lançamento do Windows 10, em 2015, o Android passou da versão 6 para a versão 10, e o iOS saiu da versão 9 para a 13 – ambos com modificações consideráveis nesse intervalo, como o modo de emergência e o FaceID do iPhone, ou o Play Protect (o "antivírus") do Android, criado em 2017. 8 dicas para aumentar a segurança do smartphones e dos apps de mensagem Por essa razão, os criadores de programas espiões não podem se acomodar e estão se adaptando constantemente, sem deixar qualquer sinal claro ou rastro de espionagem. Mas isso – é bom entender – é um efeito do aprimoramento dos sistemas, inclusive na questão de segurança. Em outras palavras, embora o remediar seja complicado por conta das evoluções nas ferramentas de espionagem que acompanham as melhoras em segurança nos aparelhos, os sistemas apostam na prevenção e na recuperação. Confira baixo o que verificar e como diminuir as chances de ser espionado. O que você deve verificar WhatsApp Web. A conexão web do WhatsApp é a maneira mais simples de espionar o aplicativo porque leva apenas alguns segundos para configurar uma sessão. Para ver se houve uso indevido, abra o WhatsApp e depois selecione "WhatsApp Web" no menu para conferir as sessões abertas. Na dúvida, encerre todas – basta autorizar uma sessão de novo, se precisar. E lembre-se de sair dele, sempre que você mesmo abrir o app no computador. Histórico de acesso: Você pode conferir o histórico de acesso às contas dos seus serviços, como Facebook, Instagram, Twitter ou Gmail nas opções da sua conta em cada um deles. Um acesso inesperado pode indicar que alguém teve acesso às suas contas. Atualmente, a Apple e o WhatsApp não oferecem essa informação. Verifique root ou jailbreak. O "root" é o acesso máximo especial dos dispositivos Android. Ele ajuda a instalar programas de espionagem com eficácia total. Você pode instalar um programa de verificação de root (como este) para ver se o root foi configurado em seu aparelho. Um smartphone só terá segurança plena se não tiver root habilitado. No iPhone, o equivalente ao root é jailbreak. Um sinal comum de jailbreak é a presença de um aplicativo chamado "Cydia". Lista de permissões especiais. No Android, abra as Configurações, vá em "Apps e notificações", role até o final e toque em "Avançado" e depois em "Permissões especiais" ou "Acesso especial". Confira se você conhece os aplicativos autorizados a usar essas permissões, principalmente "Administrador do dispositivo", "Sobrepor a apps", "Acesso a notificações" e "Instalar apps desconhecidos". Teclado. No Android, você pode conferir o teclado que está em uso no telefone. Nas configurações, procure por "Idioma e entrada" (pode estar em "Sistema"). Verifique se o teclado é conhecido (como o Gboard do Google ou o SwiftKey). Antivírus. Essa opção também só é válida para Android. Experimente um antivírus de alguma marca conhecida e faça um exame no seu celular. Não aceite programas que exigem pagamento para a primeira limpeza ou que prometem "otimizar" seu telefone – muitos antivírus não protegem o celular. Ameaças e golpes. Existem golpes na internet que tentam convencer você de que alguma conta sua foi invadida ou que até seu celular foi contaminado por um vírus ou por um programa espião. Pessoas conhecidas ou desconhecidas também podem realizar ameaças, dizendo que "sabem seu IP" ou estão observando suas ações. Na maioria dos casos, essas ameaças são vazias. Os sintomas de programas de espionagem são poucos e costumam ser específicos: janelas sumindo e sendo substituídas por outras, uso excessivo de dados, e assim por diante. Configurações de fábrica. Se você tem uma forte suspeita de que o seu telefone está sendo espionado, o caminho mais rápido é restaurar as configurações de fábrica. Faça uma cópia dos seus arquivos pessoais (como fotos, vídeos e documentos que não estiverem armazenados em um serviço em nuvem) e restaure o telefone. Isso elimina a maior parte dos programas espiões. Veja as instruções para fazer o reset no iPhone e veja as instruções para fazer o reset no Android. Em último caso, procure assistência técnica. Uma assistência técnica autorizada pode reinstalar o sistema original (firmware) do fabricante, que remove qualquer alteração indevida realizada no sistema. O que não vale a pena verificar Você até pode tentar analisar manualmente a lista de aplicativos instalados e comparar o uso de processamento, bateria ou conexão de rede para identificar programas suspeitos no celular. Na prática, leva tempo demais e não vale a pena. A principal razão é que, por mais cuidado que você tenha ao fazer esse tipo de checagem, algo pode passar despercebido — e a única solução é repetir a checagem várias vezes, o que só vai tomar cada vez mais tempo. Se a sua suspeita é tão grande que você chegou a considerar esse tipo de atitude, restaure seu celular para as definições de fábrica e redefina suas senhas principais. É mais rápido. Qualquer outra análise mais aprofundada — para descobrir quem, possivelmente, estaria espionando seu telefone, por exemplo — exigirá o trabalho de um profissional qualificado. Como você deve se proteger Como os smartphones são dispositivos novos, o modelo de segurança adotado pelos sistemas Android e iOS é mais sofisticado e rígido que o de Windows, macOS ou Linux. Cada aplicativo tem permissões limitadas e é executado de maneira isolada, sem acesso ao armazenamento dos demais programas instalados no aparelho. Sendo assim, você não deve perder nenhuma noite de sono se preocupando com a segurança do seu smartphone. Só não deixe de observar algumas recomendações: Mantenha seu celular sempre com o bloqueio de tela. Use bloqueio automático e não use desbloqueio automático. No Android, não utilize reconhecimento facial; Desligue o celular e ligue novamente antes de dormir para desativar desbloqueio biométrico. Você também pode usar o Modo de Emergência no iPhone ou o Bloqueio Total do Android, se estiver disponível no seu telefone (a função está presente nos modelos com Android 9 e superior) para desativar o desbloqueio por biometria; Não use root ou jailbreak. Você só vai facilitar o trabalho de quem tentar te espionar; No Android, não instale aplicativos fora da Play Store, nem mesmo se for indicação de pessoas conhecidas; Não deixe ninguém usar seu telefone sem a sua supervisão. Para saber como proteger seus aplicativos de ataques, confira o especial do G1. Dúvidas sobre segurança, hackers e vírus? Envie para g1seguranca@globomail.com Selo Altieres Rohr Ilustração: G1
Veja Mais

20/11 - Como a história de um fazendeiro de Ohio explica as dificuldades de abertura comercial para a carne do Brasil nos EUA
Eleitores de Trump, os fazendeiros foram prejudicados pela guerra comercial com a China e resistem ao retorno do bife brasileiro às mesas americanas. Fazendeiros foram prejudicados pela guerra comercial com a China e resistem à volta do bife brasileiro às mesas americanas Reprodução/TV TEM Aos 61 anos, Christopher Gibbs acorda quase todos os dias entre as 2h30 e as 3 da manhã. É certo que, no seu ramo de atividade — Gibbs é fazendeiro, no Estado americano de Ohio —, é preciso acordar cedo para iniciar o trabalho e garantir uma boa safra. Mas o motivo da insônia de Gibbs não é sua produção, e sim as dívidas que tem acumulado desde que o presidente Donald Trump, por quem Gibbs votou e fez campanha em 2016, começou uma guerra comercial com a China. Sob a justificativa de proteger o mercado nacional e o direito à propriedade intelectual de empresas de tecnologia americanas, Trump impôs tarifas a produtos chineses a partir de 2018. Em resposta, a China taxou a produção agrícola dos Estados Unidos. Assim, o fluxo de commodities dos EUA para a China caiu de cerca de US$ 24 bilhões, em 2014, para algo em torno de US$ 9 bilhões no ano passado — e atingiu em cheio o negócio de Gibbs, que ocupa 227 hectares do meio-oeste americano com soja, milho e pasto para um rebanho de gado. "Nesse momento, os preços da soja, do porco e do milho estão todos abaixo do custo de produção. E não é algo que eu simplesmente possa parar de fazer. Não posso abandonar a terra, deixar de plantar soja e colocar cana no lugar, não dar de comer às vacas. Então é um negócio em que você sangra e não tem como estancar", contou Gibbs à BBC News Brasil. Fazendeiro há 36 anos, Gibbs espera passar ao filho, de 31 anos e ao neto, de apenas 9 meses, o sustento por meio da terra. Para evitar a falência, pediu um novo empréstimo no banco e está consumindo suas reservas financeiras. Entre junho de 2018 e junho de 2019, o número de fazendeiros que foram à bancarrota aumentou em 13% em comparação com o mesmo período dos anos anteriores, de acordo com dados da American Farm Bureau. Republicano durante toda a vida, Gibbs tomou uma decisão difícil. Gibbs tem acumulado dívidas desde que Trump começou a guerra comercial com a China Arquivo pessoal "Não voto mais em Donald Trump. Preciso defender o negócio que quero que meu filho herde. Os movimentos de Trump até agora não nos levaram a negócios melhores, eu não acredito que irão. O que ele está fazendo é liberar subsídios para segurar os votos do agronegócio, que sempre o apoiou", afirma Gibbs, em referência ao pacote de US$28 bilhões que a gestão Trump já liberou para conter a crise no campo. Ohio, onde Gibbs vive, é um dos chamados swing states — Estados americanos em que a disputa entre democratas e republicanos é imprevisível, já que os eleitores mudam de preferência a cada pleito. O fato de Gibbs e alguns de seus colegas abandonarem o republicano, que disputará a reeleição em 2020, é uma ferida aberta em uma parcela valiosa do eleitorado. Uma pesquisa da Universidade Purdue mostra que entre 22% e 35% dos agricultores americanos acham que não têm nada a ganhar com a disputa de Trump com a China. E o Brasil nisso? Isso tudo poderia ser apenas um problema doméstico dos americanos. Mas a história de dificuldade financeira e descrença política do fazendeiro Gibbs ajuda a explicar por que o Brasil, apesar de o governo Bolsonaro dar prioridade aos EUA em sua política externa, tem sofrido para obter mais espaço comercial no país. O governo brasileiro defende que o alinhamento ao país em questões como a aprovação ao embargo contra Cuba ou a tomada de medidas duras contra o regime de Nicolás Maduro na Venezuela, além de uma maior abertura do mercado brasileiro ao trigo e ao etanol americanos, trarão dividendos financeiros ao país — em particular com a reabertura do mercado para a carne nacional. Em uma palestra promovida pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (ApexBrasil) na semana passada, o atual embaixador brasileiro em Washington, Nestor Foster, afirmou que Brasil e Estados Unidos dividem a liderança mundial de produção e exportação de commodities como soja, algodão e cana. "Alguém pode pensar que somos competidores, mas na verdade somos parceiros, sócios. Há uma sinergia muito positiva", afirmou Foster, em linha com o posicionamento oficial do país. No mesmo evento, no entanto, o tom entusiasmado do embaixador foi rebatido pelo professor de agricultura econômica da Universidade Purdue Thomas Hertel, que apresentou uma perspectiva das dificuldades dos produtores americanos no momento atual. "É ingênuo dizer que Brasil e Estados Unidos não são competidores", resumiu. 'A carne brasileira não é bem-vinda aqui' Os resultados até agora sugerem que Hertel tem razão. No mês passado, a expectativa positiva das autoridades brasileiras foi frustrada quando o resultado de uma auditoria feita por agentes dos EUA em rebanhos no Brasil negou o retorno do bife brasileiro às mesas americanas. "Eles alegaram lá algumas questões menores de fiscalização sanitária, às quais já respondemos. A verdade é que eles não querem abrir o mercado porque o produtor brasileiro é hoje mais eficiente que o americano e a carne brasileira é mais barata", explicou um diplomata envolvido nas negociações. Dois lobistas que atuam em Washington D.C. ouvidos pela BBC News Brasil afirmam que o setor agrícola tem feito pressão para que o governo Trump não retome a compra de carne bovina brasileira, suspensa desde 2017, após a Operação Carne Fraca apontar que relatórios de qualidade dos produtos brasileiros eram adulterados. "Por um lado, o Departamento de Estado americano diz que é preciso recompensar o novo comportamento brasileiro na política internacional. Por outro, o Departamento de Agricultura não quer nem ouvir falar na liberação da carne, em um contexto em que os fazendeiros estão já muito castigados. Então há uma queda de braço, o que explica a indefinição", afirma um dos consultores, que atua há mais de uma década com negócios entre América Latina e Estados Unidos. A entidade de classe dos criadores de gado concorda que não é de seu interesse o retorno da carne brasileira, mas afirma que o motivo não é político —- o que poderia ser punido em organismos internacionais como a Organização Mundial do Comércio — , e, sim, científico. "A carne brasileira não é bem-vinda nos Estados Unidos porque ela não tem a mesma qualidade que se exige do produtor americano. Não podemos arriscar a saúde do consumidor dos EUA, acostumado com um produto de alto nível. Se os brasileiros conseguirem em algum momento ter a mesma qualidade nos produtos que os americanos, eles podem vir competir aqui", afirmou à BBC News Brasil Kent Bacus, diretor de relações internacionais e abertura de mercados da Associação Nacional de Produtores de Carne dos EUA. Brasil, 'um negociador duríssimo' Há, no entanto, o entendimento entre autoridades brasileiras que a questão é eminentemente política. A ministra da agricultura, Tereza Cristina, chegou no início da semana à capital americana não apenas para reafirmar que a produção brasileira segue as normas sanitárias globais, mas para tentar convencer seu par na gestão Trump, Sonny Perdue, de que não são necessárias novas inspeções americanas no Brasil para liberação do comércio — o que provavelmente só aconteceria no ano que vem. Justamente por ser beneficiário direto da derrocada dos agricultores americanos no mercado chinês, o Brasil hoje tem obtido um preço muito atraente para sua produção — tanto de carne, quanto de soja — junto aos chineses. "Temo que, ao encontrar um fornecedor confiável, como o Brasil, os chineses sequer voltem a comprar da gente quando a guerra comercial acabar. É verdade que só o Brasil não supre a necessidade atual da China, mas vocês têm ainda terras pra ocupar e aumentar a produção, nós não temos um hectare a mais pra explorar", afirma o fazendeiro Gibbs. A própria ministra Tereza Cristina reconhece que talvez sequer houvesse oferta brasileira disponível para o mercado americano, mas o Brasil quer receber o reconhecimento dos EUA de que sua carne in natura é aceita nesse mercado. "Hoje o mercado brasileiro vive um boom muito interessante que nem sei se, nesse momento, a gente exportaria carne para os EUA, porque hoje o preço de outros mercados, principalmente da China, são mais compensadores. Agora é importante ter os EUA abertos, não tem dúvida, para alguns tipos de carne", disse a ministra. Em nome dessa abertura, o Brasil ofereceu um aumento na cota de importação do etanol americano — produzido a partir do milho — sem taxação. Em decreto presidencial em agosto, a cota de importação passou de 600 milhões de litros para 750 milhões de litros, fato propagado e comemorado por Trump no Twitter. A medida, no entanto, gerou resistência entre os produtores de cana do Brasil, que, com o apoio do presidente da Câmara Rodrigo Maia, quase derrubaram o decreto de Bolsonaro. Para conter o problema, o governo estabeleceu períodos em que a isenção de imposto ao etanol americano valeria — parte durante a safra, parte na entressafra. E dessa vez, recebeu reação negativa dos americanos. "A decisão do Brasil de impor restrições sazonais à sua cota tarifária para o etanol americano é decepcionante e coloca obstáculos adicionais ao livre comércio, prejudicando os consumidores e nossos respectivos setores de etanol", afirmou em nota, em outubro, a associação de comércio de etanol Growth Energy, o Conselho de Grãos dos EUA e a Associação de Combustíveis Renováveis. A reclamação foi diretamente encaminhada a autoridades brasileiras. A questão ainda não foi contornada e é tratada como prioridade pela Representação Comercial dos Estados Unidos, que já avisou que barrará qualquer possibilidade de acordo de comércio bilateral enquanto o assunto etanol não for encaminhado a contento. Decreto gerou resistência entre os produtores de cana do Brasil Murillo Gomes/G1 Colabora ainda para o mal-estar dos americanos com o Brasil a participação da JBS no mercado americano. Gigante do setor frigorífico, a empresa brasileira opera nos EUA desde 2007 e hoje processa carne de cerca de 11 mil produtores americanos. A companhia dos irmãos Joesley e Wesley Batista é frequentemente acusada pelos rancheiros americanos de pagar menos do que o justo pelos animais, o que a empresa nega. O escândalo de corrupção que envolveu os empresários no Brasil pode respingar nos Estados Unidos, já que o senador republicano Marco Rubio pediu a revisão pelas autoridades reguladoras da compra pela JBS da Swift e de outros frigoríficos locais sob alegação de que a empresa fez o negócio usando dinheiro obtido por empréstimos fraudulentos com o BNDES. Além disso, os americanos afirmam que a empresa se beneficia duplamente da guerra comercial com a China — por um lado, compra porcos subsidiados pelo governo americano, por outro, pode evitar as tarifas de 72% sobre a carne de porco americana imposta pela China transferindo esses negócio para o Brasil, cuja tarifa é de 12%. O fazendeiro de Ohio, Gibbs, resume o sentimento envolvido na disputa comercial: "somos a favor do livre comércio, mas não vamos aceitar um acordo que seja injusto pra nós. Há quatro anos, a carne brasileira entrou no mercado. Eu não gostei, mas podemos negociar se houver ganhos para a agricultura em outras áreas. Não sei se é o caso. Simplesmente não me importo se Trump gosta ou não do presidente do Brasil. O Brasil sempre foi um negociador duríssimo, vamos ver se estamos mesmo em uma nova era".
Veja Mais

20/11 - Moto controlada por gestos e que não cai é atração do Salão Duas Rodas; G1 testou
Yamaha Motoroid, conceito futurista de moto da marca, terá apresentações para o público durante o evento. É a primeira vez que ela aparece na América do Sul. Salão Duas Rodas 2019: a moto que anda sozinha Já pensou controlar uma moto por gestos? No Salão Duas Rodas, isso é possível. Pelo menos no conceito Motoroid, uma das principais atrações da Yamaha no evento. O G1 testou o modelo antes da abertura para o público. Vale adiantar que moto e repórter (que nunca pilotou uma moto) passam bem. Apresentada originalmente em 2017 a Motoroid, moto autônoma da Yamaha, chega ao Brasil pela primeira vez no Salão Duas Rodas 2019. André Paixão/G1 A aparição no Salão Duas Rodas é a primeira da Motoroid na América do Sul. Antes disso, dois anos atrás, ela foi mostrada ao mundo no Salão de Tóquio. No futurista Salão de Tóquio, motos rodam sozinhas “Essa é a visão da Yamaha para o futuro. Temos um modelo que anda sozinho e não tomba, reforçando a segurança”, disse Kinji Asamura, engenheiro de tecnologia da mobilidade da empresa. Ele veio do Japão apenas para demonstrar a Motoroid no Salão Duas Rodas. Kinji Asamura, engenheiro da Yamaha, e a Motoroid Fabio Tito/G1 O funcionamento é relativamente simples. Duas câmeras na dianteira detectam o rosto do piloto. A partir daí, quatro pequenos LEDs azuis indicam que ela está pronta para ser conduzida. “É possível configurar o sistema para que a moto só funcione com o rosto do dono”, completou Asamura. O Salão Duas Rodas 2019 em 5 VÍDEOS Para auxiliar as demonstrações, uma tela lateral indica se a pessoa está dentro do campo de visão da moto. A Motoroid obedece a três comandos diferentes: fazendo o gesto de chamar alguém faz com que a moto avance. Para parar, basta espalmar a mão. Por fim, se quiser que ela retorne, é só afastar a mão, em direção a moto. Motos que não caem do Salão de Tóquio Alexandre Mauro/G1 No início, ainda no período de adaptação, alguns gestos acabam sendo confundidos. Porém, conforme piloto e máquina vão criando “intimidade”, tudo se torna mais natural. Outra funcionalidade da Motoroid é se equilibrar sozinha. Ela percebe um movimento de queda, e compensa isso, de forma semelhante ao de uma coluna humana. Dá para empurrar a moto, que ela não cai. Detalhe das baterias da Motoroid, que ajudam no equilíbrio da máquina. Fabio Tito/G1 Isso é feito usando as baterias e o próprio chassi da moto como um pêndulo. Por fim, ela ainda privilegia a ergonomia, com possibilidade de diferentes ajustes, de acordo com o corpo do piloto. Sim, é possível conduzir a Motoroid de forma “convencional”. Motoroid, moto futurista da Yamaha, conta com um sistema de câmeras para reconhecimento dos comandos. Fabio Tito/G1 Questionado sobre a possível chegada de uma moto como essa ao mercado, o engenheiro da Yamaha disse que “estão fazendo o possível para que seja em breve”, sem, no entanto, dar uma previsão. Ficou curioso? Durante o Salão Duas Rodas, a Motoroid terá três apresentações diárias. Elas acontecerão de acordo com a demanda, e serão comandadas por Asamura. Initial plugin text
Veja Mais

20/11 - Feirão online do SPC para renegociar dívidas e limpar nome começa na quinta-feira
Serviço estará disponível em 15 cidades e vai até o dia 15 de dezembro; descontos podem chegar a 90%. Feirão online do SPC permite que o consumidor renegocie dívidas para limpar o nome Thiago Lavado/G1 Começa na quinta-feira (21) o feirão online do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) para consumidores que precisam renegociar dívidas e limpar o nome. O serviço deve oferecer descontos de até 90% de descontos nas dívidas em atraso, com cerca de 120 empresas participantes. O feirão estará disponível em 15 cidades - São Paulo, Belo Horizonte, Salvador, Fortaleza, Recife, Goiânia, Cuiabá, São Luis, Teresina, Rio Branco e Manaus, Feira de Santana (BA), Ibirité (MG), Pato Branco (PR) e Santo Antônio da Platina (PR). O serviço vai até o dia 15 de dezembro. Entre as empresas que farão parte do feirão estão bancos, consórcios, operadoras de telefonia, construtoras, supermercados e empresas do comércio e do ramo de serviços. Além dos descontos, também serão oferecidos como opções de renegociação parcelamentos maiores ou novo prazo para quitar a dívida. Para renegociar dívidas e limpar o nome no feirão do SPC, o consumidor precisa: verificar no site do feirão se a empresa para a qual ele está devendo está participando fazer um cadastro no mesmo site após a confirmação do cadastro, consultar o seu CPF para checar se tem alguma pendência. Essa consulta é gratuita se tiver alguma dívida, verificar se ela está disponível para renegociação dentro do próprio site após a renegociação, o consumidor pode baixar os boletos com as novas condições de pagamento Segundo o SPC Brasil, a quantidade de pessoas que têm contas em atraso cresceu 1,58% em outubro na comparação com o mesmo mês de 2018. A maior parte das dívidas em aberto é instituições financeiras, com 53%. Já o comércio tem 17% do total de dívidas. O setor de comunicação, 12% e as empresas de fornecimento de água e luz, 10%. O presidente do SPC Brasil, Roque Pellizzaro Junior, diz que o fim de ano é um momento propício para quitar dívidas, pois muitos consumidores recebem o 13º salário. Ele cita ainda a recente liberação dos recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) pelo governo. "Quem está inadimplente deve priorizar o pagamento de dívidas com esse dinheiro. Estamos nos aproximando das festas natalinas, que é um período em que todos gostam de presentear e aproveitar as promoções. Para isso, é importante fazer um esforço para quitar as dívidas e consumir com responsabilidade para não reincidir nos atrasos”, disse Pellizzaro Junior em nota. Dados do SPC Brasil mostra que o volume de consumidores com contas em atraso cresceu 1,58% no último mês de outubro na comparação com o ano passado. A maior parte das dívidas (53%) em aberto no país está ligada a instituições financeiras. Já o comércio responde por uma fatia de 17% do total de dívidas, enquanto o setor de comunicação por 12% e as contas de água e luz por 10%.
Veja Mais

19/11 - Reforma da Previdência: Senado conclui votação da 'PEC paralela'
Texto facilita adesão de estados e municípios às novas regras de aposentadoria. Proposta seguirá para a Câmara dos Deputados. Senadores concluem segundo turno da ‘PEC paralela’ da reforma da Previdência O Senado concluiu nesta terça-feira (19) a votação em dois turnos da chamada "PEC paralela" da reforma da Previdência. Os senadores analisaram destaques apresentados em primeiro turno e, em seguida, aprovaram o texto em segundo turno por 53 votos a 7. Eram necessários 49 votos para a aprovação. Entre outros pontos, o texto facilita a adesão de estados e municípios às novas regas de aposentadoria (leia detalhes mais abaixo). A “PEC paralela” segue para a análise da Câmara dos Deputados, que também terá de analisar o texto em dois turnos. Durante a sessão, o senador Jorge Kajuru (Cidadania-GO) passou mal e foi atendido no plenário. O parlamentar foi retirado de maca e levado ao serviço médico da Casa. Com isso, a sessão foi suspensa por alguns minutos. A proposta passou a ser articulada em agosto e foi chamada de "PEC paralela" porque passou a tramitar paralelamente à PEC da reforma da Previdência. O objetivo foi agilizar a tramitação da chamada "PEC principal", deixando alguns temas controversos para discussão posterior. A PEC principal foi promulgada na semana passada pelo Congresso Nacional. Entenda a PEC paralela, que inclui estados e municípios na reforma da Previdência Estados e municípios Entre outros pontos, a "PEC paralela" facilita a adesão de estados e municípios às novas regras de aposentadoria previstas para servidores públicos da União. De acordo com a PEC, estados, Distrito Federal e municípios, por meio de lei ordinária, poderão adotar para os regimes próprios de Previdência (servidores estaduais e municipais) as regras aplicáveis aos servidores federais (regime próprio de previdência da União). Com isso, os entes não precisarão alterar as constituições locais para modificar as regras de aposentadoria, o que demandaria um processo mais longo e trabalhoso. O texto também prevê: Por meio de lei ordinária, estados e municípios poderão revogar as alterações e sair do regime; O prazo para revogação é de até seis meses antes do fim do mandato do chefe do Poder Executivo local; Se um estado adotar a legislação federal para os servidores, os municípios desse estado passarão automaticamente a seguir as mesmas regras. A vinculação poderá ser revogada por iniciativa do município. Transição Por acordo entre governo e oposição, articulado a partir de um destaque apresentado pela Rede Sustentabilidade, o relator Tasso Jereissati promoveu uma modificação em relação ao cálculo das aposentadorias. A reforma da Previdência, promulgada na semana passada, estabeleceu que para o cálculo do benefício serão consideradas 100% das contribuições do trabalhador. Antes da reforma, eram consideradas as 80% maiores contribuições, descartadas as 20% menores, o que era mais favorável ao trabalhador. O destaque apresentado pela Rede previa um período de transição para que entre em vigor o cálculo do benefício feito em cima de 100% das contribuições do trabalhador. Por acordo, ficou estabelecido que: - até o fim de 2021: serão consideradas, para cálculo do benefício, as 80% maiores contribuições, descartados os 20% dos salários mais baixos; - a partir de 2022: serão consideradas, para cálculo do benefício, as 90% maiores contribuições, descartados os 10% dos salários mais baixos; - a partir de 2025: serão consideradas, para cálculo do benefício, 100% das contribuições. De acordo com Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), essa transição pode gerar um impacto negativo de cerca de R$ 20 bilhões em dez anos. Outras mudanças Veja outros pontos contemplados na "PEC paralela": Transição mais suave para mulheres: no caso de aposentadoria por idade, o texto prevê idade mínima de 60 anos a partir de 2020 com transição gradual de 6 meses a cada dois anos, até atingir 62 anos. Tempo de contribuição para homens: prevê tempo mínimo de contribuição de 15 anos, inclusive para os homens que ainda vão ingressar no mercado de trabalho. Pensão por morte: define que nenhum pensionista terá renda formal inferior ao salário mínimo. Tasso acatou emenda para que esse benefício fique estabelecido, também, no caso de servidores estaduais e municipais. Criação de um benefício universal infantil: a PEC prevê uma lei para a criação de benefício que concentra recursos nas famílias mais pobres e na primeira infância. Conforme o relatório, isso não gera custo fiscal extra porque o benefício pode ser financiado por meio da unificação de políticas públicas voltadas às crianças. Destaques analisados na sessão A sessão desta terça-feira iniciou com quatro destaques (sugestões de alteração) ao texto-base da “PEC paralela” na pauta. O texto-base já havia sido aprovado no dia 6 de novembro. Dois destaques foram derrubados e outro foi retirado. Por acordo entre governo e oposição, um destaque foi aprovado na forma de emenda. Esse acordo viabilizou a votação da proposta em segundo turno nesta terça. O primeiro destaque rejeitado nesta terça-feira, de autoria do PT, tinha o objetivo de promover mudanças no cálculo do benefício nos casos de aposentadoria por invalidez permanente. Eram necessários 49 votos a favor do destaque, que recebeu somente 29 votos favoráveis; 41 senadores votaram contra. Parlamentares favoráveis ao destaque afirmaram que a finalidade era assegurar benefício no valor de 100% da média de contribuições a todos os casos de aposentadoria por incapacidade. A emenda da reforma da Previdência, promulgada na semana passada, prevê 100% somente nos casos de invalidez ou morte por acidente de trabalho ou doença profissional. Defensores do destaque dizem que isso não contempla, por exemplo, pessoas que eventualmente se acidentem no caminho para o trabalho. Líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), afirmou que a eventual aprovação do destaque significaria uma redução de R$ 83 bilhões na economia da reforma da Previdência em dez anos. Outro destaque rejeitado, proposto pelo PROS, retirava das regras previdenciárias a exigência de idade mínima para o acesso a aposentadorias especiais por agentes nocivos, caso, por exemplo, dos operadores de raio-X. Somente 18 senadores votaram a favor do destaque e 48 votaram contra. O destaque retirado, do PSDB, tratava sobre abono de permanência de servidores públicos. Economia com a proposta Parlamentares aliados ao governo ainda calculam o impacto que a PEC paralela pode gerar nas contas públicas. Isso porque o valor da economia vai depender da adesão de estados e municípios, e da manutenção de outras regras quando o texto for analisado pela Câmara. A estimativa inicial do relator, Tasso Jereissati (PSDB-CE), era de economia acima de R$ 1 trilhão. Uma das fontes de economia prevista na proposta é a cobrança gradual de contribuições previdenciárias do agronegócio exportador, medida que pode gerar economia de R$ 60 bilhões em dez anos. Também estão previstas cobranças no sistema Simples, destinadas a incentivar micro e pequenas empresas a investirem em prevenção de acidentes de trabalho e proteção do trabalhador contra exposição a agentes nocivos à saúde. A economia estimada é de R$ 35 bilhões em dez anos. Por outro lado, Tasso Jereissati retirou um trecho que previa cobrança gradual e contribuições previdenciárias de entidades filantrópicas, exceto das de assistência, como as Santas Casas. Isso geraria economia de R$ 60 bilhões em dez anos. O relator estabeleceu que a União deverá compensar o Regime Geral de Previdência Social (RGPS) por esta renúncia, com impactos inclusive na apuração do déficit previdenciário. Sobre a tributação de entidades filantrópicas, o assunto deverá ser tratado por meio de um projeto de lei complementar, a ser apresentado.
Veja Mais

19/11 - Governo aprova regras para tentar acelerar privatização de pequenas e médias estatais
Programa de concessões aprovou norma segundo a qual caberá a 2 ministros decidir modelo de privatização, não mais a conselho. Governo diz que deve reduzir em seis meses o processo. Reunião do Conselho do Programa de Parcerias de Investimentos, no Palácio do Planalto, nesta terça (19) Carolina Antunes/PR O Conselho do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI) aprovou nesta terça-feira (19) novas regras para tentar acelerar a privatização de pequenas e médias estatais. A resolução foi aprovada durante uma reunião no Palácio do Planalto, da qual participaram o presidente Jair Bolsonaro e alguns ministros, entre os quais Paulo Guedes (Economia), Tarcísio Gomes (Infraestrutura) e Onyx Lorenzoni (Casa Civil). De acordo com a resolução, serão consideradas: estatais de médio porte: receita operacional bruta entre R$ 90 milhões e R$ 300 milhões; estatais de pequeno porte: receita operacional bruta igual ou inferior a R$ 90 milhões. Atualmente, a única estatal na carteira do PPI que se encaixa nesses critérios é o Centro Nacional de Tecnologia Eletrônica Avançada S.A. (Ceitec). Privatizações Conforme a resolução aprovada nesta terça, a decisão sobre o modelo de privatização das pequenas e médias estatais caberá aos ministros da Casa Civil e da Economia, não mais ao conselho do programa. Segundo a secretária especial do PPI, Martha Seillier, a proposta deve reduzir em seis meses o processo de privatização. A resolução prevê também: Os ministros da Casa Civil e da Economia decidirão sobre eventuais ajustes societários e também sobre o saneamento financeiro das estatais; A determinação do preço dos ativos será por meio de análise expedida de mercado. "O que a gente quer é que as empresas consideradas menores possam seguir um rito mais rápido de avaliação e venda", afirmou Martha Seillier. Outras medidas anunciadas Durante a reunião, o conselho do PPI também decidiu: incluir o leilão do 5G no programa de concessões; incluir o Serpro e da Dataprev no Programa Nacional de Desestatização; criação de um programa de aprimoramento das licitações de exploração e produção de petróleo e gás natural. Leilões de petróleo A reavaliação sobre o modelo de licitação foi anunciada após o governo ter leiloado quatro áreas do pré-sal na Bacia de Santos, e dois não terem recebido propostas. A expectativa do governo era arrecadar R$ 106,5 bilhões, mas o montante não chegou a R$ 70 bilhões. Atualmente, o leilão do pré-sal é feito pelo modelo de partilha, no qual o vencedor repassa para a União um percentual do petróleo e do gás explorados. O modelo também permite à Petrobras exercer o direito de preferência. A avaliação no governo é que o atual modelo inibe as empresas que querem participar de leilões do pré-sal. Outros projetos O conselho do PPI também incluiu no programa: Parque Nacional de Aparados da Serra, no Rio Grande do Sul, que entrará para o programa de concessão de reservas naturais; Terminal Marítimo de Passageiros de Fortaleza, que deve ser concedido pelo prazo de 25 anos. O leilão do terminal está previsto para abril de 2020; Estudo para parceria público-privada para Unidades Básicas de Saúde; Estudo de parceria para ampliação e modernização do Hospital Fêmina, de Porto Alegre; Estudo de alternativas de parceria entre a EBC e a iniciativa privada para "garantir sua sustentabilidade econômico-financeira".
Veja Mais

19/11 - Análise de 20 amostras de pescados do Nordeste descarta risco para a saúde do consumidor, diz ministério
Estudo foi feito pela PUC-RJ a pedido do governo. Testes mostram baixo índice de Hidrocarbonetos Policíclicos Aromáticos (HPA), considerado indicador de contaminação por petróleo. Peixe encontrado morto na praia de Icapuí, no Ceará, em outubro de 2019 Helene Santos/SVM Novas análises encomendadas pelo Ministério da Agricultura mostram que peixes, lagostas e camarões pescados no Nordeste são seguros para o consumo, já que apresentam níveis baixos da substância que poderia ser considerada um indicativo de contaminação por petróleo. Os testes foram feitos a pedido do ministério pelo Laboratório de Estudos Marinhos e Ambientais (LabMAM) da PUC-RJ e divulgados nesta terça-feira (19). Segundo a pasta, os valores de Hidrocarbonetos Policíclicos Aromáticos (HPAs) encontrados em todas as 20 amostras testadas estão abaixo dos níveis de preocupação definidos pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Por isso, o consumo dos pescados não representa um risco para a saúde, apontou o ministério em nota. Manchas de óleo no Nordeste: o que se sabe sobre o problema A análise foi feita com peixes, lagostas e camarões coletados em 11 localidades de 4 estados (Rio Grande do Norte, Ceará, Bahia e Pernambuco). Foram analisados seis tipos de peixes (Ariacó, Budião, Dourado, Garoupa, Pargo e Saramonete), dois tipos de lagostas (Verde e Vermelha) e dois de camarões (Rosa e Sete Barbas). As manchas de óleo que atingem o litoral brasileiro já afetaram mais de 650 localidades, segundo o último balanço do Ibama, publicado nesta terça. Há registro de manchas de óleo nos 9 estados do Nordeste – Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe – e também no Espírito Santo. O óleo já atingiu quase 70% dos municípios do litoral nordestino desde o início do desastre, no final de agosto. Novas manchas de óleo voltaram a aparecer nas praias do Guaiu e de Mogiquiçaba, que ficam entre os municípios de Santa Cruz Cabrália e Belmonte Divulgação/Prefeitura de Belmonte Em entrevista ao G1 o biólogo marinho Mark Whittington, que esteve no Brasil participando de análises dos impactos do óleo nos pescados, disse que "não espera que haja impactos nos peixes devido ao tipo de petróleo envolvido no vazamento". Especialista em analisar impactos de vazamentos de óleo na pesca, Whittington é da Federação Internacional de Poluição por Petroleiros (ITOPF, na sigla em inglês), organização especializada em identificar e prevenir vazamentos de petróleo causados por petroleiros que foi procurada pelo governo brasileiro no início do desastre. "Em geral, o óleo que estamos vendo é o que chamamos de óleo pesado, um material desgastado pelo tempo e parcialmente emulsionado. Por isso, os compostos de óleo leve, que são mais associados aos problemas na pesca, estão presentes em quantidades relativamente pequenas", explica Mark Whittington, do ITOPF. Para o analista, os principais impactos na pesca devem ocorrer por meio da contaminação de barcos pesqueiros e equipamentos de pesca. "No entanto, a escala e a extensão dos impactos precisam ser confirmadas à medida que obtemos mais informações", afirma. Óleo atinge mais de 650 localidades, diz Ibama
Veja Mais

19/11 - Governo anuncia inclusão do leilão do 5G no programa de concessões
Leilão deve acontecer no segundo semestre de 2020. Conselho do Programa de Parcerias de Investimentos se reuniu nesta terça (19) com o presidente Bolsonaro e alguns ministros. Reunião do Conselho do Programa de Parcerias de Investimentos, no Palácio do Planalto, nesta terça (19) Carolina Antunes/PR O governo federal anunciou nesta terça-feira (19) a inclusão do leilão do 5G no Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), o programa de concessões. Segundo a secretária especial adjunta do PPI, Veronica Sánchez, o governo prevê realizar o leilão no segundo semestre do ano que vem. Vídeo: Tecnologia 5G revoluciona conexão Podcast GloboNews: A batalha do 5G O anúncio foi feito no Palácio do Planalto, após o conselho do PPI ter se reunido com o presidente Jair Bolsonaro e com alguns ministros, entre os quais Paulo Guedes (Economia), Tarcísio Gomes (Infraestrutura), Onyx Lorenzoni (Casa Civil) e Ernesto Araújo (Relações Exteriores). De acordo com Veronica Sánchez, o PPI passará a acompanhar os procedimentos para o leilão das frequências usadas na oferta de telefonia e internet móvel de alta velocidade. A secretária adjunta destacou que, com a medida desta terça, o leilão também entrará na carteira de projetos que o governo divulga no exterior por meio de roadshows. Alocação Em maio, ficou decidido que tanto a frequência 2,3 GHz quanto a 3,5 GHz serão alocadas para o 5G. Outras bandas como a 26 GHz e a 700 MHz, que suportam comunicações de baixa latência adequadas para uso industrial, também podem ser adicionadas ao mesmo leilão. Consulta pública A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) será a responsável pelo edital do leilão. A proposta de edital que entraria em consulta pública chegou a ser pautada na reunião da agência, mas a abertura foi adiada após o conselheiro Emmanoel Campelo ter pedido vista, ou seja, mais tempo para analisar o caso.
Veja Mais

19/11 - Petrobras fecha contrato para vender Liquigás por R$ 3,7 bilhões
Como parte da estruturação da operação, será realizado investimento acionário minoritário e relevante por parte da Itaúsa na Copagaz, segundo a empresa. Liquigás Divulgação A Petrobras informou nesta terça-feira (19) que assinou com a Copagaz e a Nacional Gás Butano contrato para a venda da totalidade da sua participação na distribuidora de gás liquefeito de petróleo Liquigás, por R$ 3,7 bilhões. Não foram informados quais os percentuais que cada empresa deterá na Liquigás. O fechamento da transação está sujeito ao cumprimento de condições precedentes, dentre elas a aprovação pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). A negociação envolvendo a Liquigás faz parte do processo de desinvestimentos da Petrobras, que pretende vender a totalidade de sua participação na distribuidora de gás de cozinha. A Liquigás é subsidiária integral da Petrobras e atua no engarrafamento, distribuição e comercialização de gás liquefeito de petróleo (GLP) no Brasil. A empresa tem uma rede de aproximadamente 4,8 mil revendedores autorizados, tendo cerca de 21,4% de participação de mercado. Como parte da estruturação da operação, a Itaúsa reiterou em separado que irá investir aproximadamente R$ 1,4 bilhão na Copagaz, passando a deter 49% do capital social dessa companhia, destacou a agência Reuters. "A Copagaz, que permanecerá sob controle acionário dos atuais acionistas, aplicará ao negócio combinado suas reconhecidas práticas de gestão e experiência de mais de 60 anos no mercado", disse a Itaúsa. Já a Nacional Gás, segundo a Itaúsa, adquirirá fatia minoritária na Liquigás e passará, após fechamento da operação e posterior implementação de reorganização societária, a ser detentora de operações em determinadas localidades. A Petrobras já havia informado que o grupo formado pela Itaúsa, Copagaz e Nacional Gás Butano apresentou a melhor oferta final para compra da Liquigás, no valor de R$ 3,7 bilhões. A Copagaz comercializa cerca de 620 mil toneladas de GLP por ano. É a quinta maior empresa de GLP do Brasil. A Nacional Gás Butano é a empresa de energia do Grupo Edson Queiroz que atua na distribuição de GLP em todo o Brasil. Já a Itaúsa é uma holding de investimentos. A Petrobras chegou a vender a Liquigás no fim de 2016 para a Ultrapar por R$ 2,8 bilhões, mas o negócio foi bloqueado pelo Cade.
Veja Mais